Embora estejamos acostumados a ver Jesus retratado com pele clara, olhos azuis, barba farta e cabelos longos, conforme explicamos em uma matéria anterior aqui do Mega Curioso, essa imagem “europeizada” é relativamente recente. A seguir você pode conferir algumas das representações mais antigas de Cristo já descobertas pelo mundo:

1 – Cura do paralítico

A ilustração acima, datada do ano de 235, foi descoberta em 1921, e está entre as representações gráficas de Jesus mais antigas do mundo. O mural foi encontrado em das paredes da capela batismal da Igreja Dura Europos, na Síria, e a imagem retrata uma das passagens bíblicas mais conhecidas do Novo Testamento, a cura do paralítico.

Aliás, a Igreja Dura Europos é considerada como a primeira casa de orações cristã de que se tem registro, e está entre as primeiras igrejas cristãs da História. Acredita-se que a estrutura tenha servido de habitação comum até ser convertida em um local para receber os seguidores do cristianismo, e ela esteve em atividade entre os anos de 233 e 256, até ser abandonada durante a conquista persa.

2 – O Bom Pastor

Bem diferente da imagem tradicional de Jesus com a qual estamos acostumados, a figura acima, possivelmente criada em meados do século 3, foi descoberta nas Catacumbas de Calisto, situadas na Via Apia, em Roma, e mostra Cristo com os cabelos curtos e carregando um carneiro nos ombros — simbolizando uma das almas que ele salvou.

3 – Madona com o Menino Jesus

A imagem acima é considerada como — possivelmente — a representação mais antiga já encontrada da Virgem Maria segurando o Menino Jesus nos braços. Descoberta durante uma série de escavações nas Catacumbas de Priscilla, situada na Via Salaria, em Roma, acredita-se que o fresco tenha sido criado no século 3.

4 – Jesus curando a mulher com sangramento

Encontrado na Catacumba de Marcelino e Pedro, situada em Roma, o afresco que você acabou de ver acima provavelmente foi criado entre os anos de 300 e 350, e retrata uma passagem bíblica descrita nos evangelhos de Lucas, Marcos e Mateus conhecida como “Jesus curando a mulher com sangramento”.

Mais precisamente, o episódio se refere a uma mulher que não parava de sangrar havia 12 anos. De acordo com os evangelhos, ela teria avistado Jesus no meio de uma multidão e tocado sua túnica na esperança de ser curada. No entanto, Cristo diz a ela que quem a salvou foi sua fé.

5 – Grafite de Alexamenos

A imagem acima, também conhecida como “Grafite Blasfemo”, está entre as representações gráficas de Jesus mais antigas de que se tem notícia — e possivelmente foi criada por volta do ano 200 da Era Cristã. A figura foi descoberta gravada sobre o gesso de uma parede situada nas proximidades do Palatino, em Roma, e mostra Cristo crucificado. A composição ainda apresenta os dizeres “Alexamenos adora a Deus!”, em grego.

Mas, conforme você poderá ver com mais detalhes a seguir — e entender o motivo de ele ser chamada de blasfemo —, em vez da figura tradicional de Jesus preso à cruz, o grafite traz um corpo humano com cabeça de burro em seu lugar:

Embora seja um pouco chocante, especialmente para os cristãos devotos, vale lembrar que o grafite acima — com significado evidentemente irônico — foi criado em uma época em que os seguidores do cristianismo eram perseguidos. Atualmente, o pedaço de gesso com a inscrição se encontra no Museu Antiquário do Palatino.

*Publicado originalmente em 27/12/2016.