1 – A palavra “Buda” é, na verdade, um título que significa “aquele que está desperto” – no sentido de alguém que despertou para a realidade;

2 – Para o Budismo, o carma é a força que mantém o ciclo de sofrimento e renascimento de cada ser vivo em constante andamento;

3 – No Templo de Thanboddhay, em Myanmar, existem nada menos que 582.357 estátuas de Buda;

4 – E falando em estátuas, as três mais altas que existem no mundo são de Buda: a que existe no Templo da Primavera, na China, com 128 metros, a de Laykyum Setkyar, em Myanmar, com 115,8 m, e a de Ushiku Daibutsu, no Japão, com 110 metros de altura;

5 – Embora o budismo seja uma religião tradicionalmente asiática, existem mais de 7 milhões de praticantes fora da Ásia;

6 – Ao contrário do que ocorre com outras religiões, o Budismo não tem um texto central único de referência – este seria o caso da Bíblia para o cristianismo, por exemplo;

7 – No Sri Lanka, Camboja, Laos, Birmânia e Tailândia, as celebrações do Ano Novo budista duram três dias;

8 – A suástica, apesar da conotação negativa que ganhou graças ao nazismo, é um símbolo considerado bastante auspicioso não só no Budismo, mas também no Hinduísmo e no Jainismo, uma das religiões mais antigas da Índia;

9 – No Budismo, o suicídio é visto como o desperdício de uma oportunidade preciosa de gerar carma positivo;

10 – Os monges budistas não podem matar nenhum tipo de animal, nem mesmo vermes e bichos associados com a disseminação de pestes;

11 – O Budismo vê a humanidade como parte da natureza – e não separada dela;

12 – A China é o país do mundo com o maior número de budistas: aproximadamente 244 milhões de pessoas – ou o equivalente a pouco mais de 18% da população chinesa;

13 – O atual Dalai Lama foi selecionado para o posto quando ele tinha apenas 2 anos de idade e foi oficialmente reconhecido como o 14º líder do Budismo aos 4 anos;

14 – Ao contrário do que acontece em outras religiões, o Dalai Lama não incentiva os seguidores de outras doutrinas a se converterem ao budismo tibetano, mas sim permanecerem em suas próprias crenças;

15 – Historicamente falando, Buda não era obeso. A popular figura gordinha com a qual muitos estão acostumados a ver se refere a um monge chinês do século 10 que se tornou uma espécie de herói local e era conhecido pelo nome de Pu-Tai.