1 – Sobre a inclinadinha para a direita

Você pode nunca ter prestado muita atenção sobre como você inclina a cabeça na hora de beijar — afinal, quem vai se ligar nessas coisas em um momento desses! —, mas um estudo apontou que a maioria das pessoas se inclina para a direita (sim, caro leitor, fizeram uma pesquisa científica sobre isso) e os cientistas inclusive desenvolveram uma teoria sobre a razão.

Um casal se beijando(Unsplash/Henri Meilhac)

O estudo foi conduzido por cientistas do Reino Unido e de Bangladesh e envolveu 48 casais. Após analisar os participantes, os pesquisadores concluíram que 74% inclinavam a cabeça para a direita na hora de beijar — e observaram que os homens são 15 vezes mais propensos a tomar a iniciativa do que as mulheres.

Sobre a razão de a maioria inclinar a cabeça para o mesmo lado, os cientistas explicaram que, geralmente, a inclinação corresponde ao lado de nossa mão dominante — e como maioria da população é destra, é por isso que a inclinadinha para a direita é mais comum. Os pesquisadores teorizam que isso tem a ver com a forma como o cérebro distribui atividades entre os dois hemisférios do cérebro, em especial nas áreas que controlam as nossas emoções e tomadas de decisão.

2 – Demonstração de afeto ou exibicionismo?

O que você pensa quando vê casais se beijando apaixonadamente: que eles estão demonstrando afeto ou que os dois não passam de exibicionistas? Pois uma pesquisa conduzida por cientistas da Universidade do Kansas, nos EUA, revelou que a maioria se “atraca” em público como puro exibicionismo mesmo — e que só fazem isso porque tem gente assistindo.

Casal trocando beijos(Unsplash/Allef Vinicius)

O estudo foi feito com 350 pessoas de ambos os sexos e com idades entre os 17 e os 35 anos e, apesar de maioria concordar com a opção do exibicionismo, homens e mulheres parecem ter motivações diferentes para fazer o showzinho.

No caso dos rapazes, eles beijam em público para provar que são capazes de ganhar (e manter) a atenção de mulheres atraentes e, basicamente, para se mostrar para os amigos e outros homens. Já no caso das moças, mais de 50% das que participaram do estudo admitiram que os “agarros” públicos serviam para provocar ciúmes em antigos namorados e até em outras mulheres.

3 – Terapia contra o estresse

Você já reparou em como é normal se sentir relaxado depois de dar uns bons beijos em alguém? Olha, segundo um estudo realizado por cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, essa sensação não é só impressão não! A pesquisa envolveu a participação de 52 pessoas em relacionamentos sérios que tiveram como tarefa beijar seus parceiros com mais frequência do que o normal ou com a mesma frequência de sempre durante um período de um mês e meio.

Homem e mulher se beijando(Unsplash/George Coletrain)

Nesse intervalo, os cientistas coletaram amostras de sangue e pediram que os participantes respondessem a alguns questionários. Após analisar os dados obtidos, os pesquisadores descobriram que aqueles que tinham beijado seus parceiros com mais frequência apresentaram níveis de estresse significativamente mais baixos quando comparado aos do pessoal que seguiu normalmente com sua rotina romântica.

4 – A qualidade do sorriso conta mais do que você imagina

O que mais desperta a sua vontade de beijar alguém: a aparência da pessoa, o fato de ela ter lábios carnudos e bem desenhados, a sensualidade que ela exala? Segundo um estudo realizado nos EUA com quase 200 mulheres entre as idades de 18 e 24 anos, a característica determinante para que elas decidissem por beijar ou não eram os dentes da outra pessoa.

Lábios de duas pessoas(Pixabay/Free-Photos)

Mais especificamente, os pesquisadores pediram que as participantes analisassem uma lista de características relacionadas com seus potenciais parceiros e dessem notas de 1 a 4 para cada item. O levantamento apontou que a saúde e aparência dos dentes foi votada como a mais importante — mais do que a beleza corporal, aparência do rosto e formato dos lábios. Então, já sabe, né? Cuide do seu sorriso com carinho!