Os esportes mais populares, com relevância para o futebol, são praticados em equipe. Além da questão competitiva, aliar exercícios físicos e interação social pode ser uma ótima forma de relaxar depois de um dia estressante no trabalho. No entanto, o que é essencial em uma modalidade pode até mesmo atrapalhar outras.

Veja o caso da corrida de rua: está cada vez mais popular, com inúmeras provas em finais de semana, onde se reúnem pessoas de todas as idades. Nessa modalidade, apesar de existirem assessorias de corrida que instruem seus alunos e proporcionam um convívio entre os praticantes, são muito comuns os treinos sem companhia.

Para algumas pessoas, isso pode soar arrogante ou estranho, mas quem corre sabe como é necessário prestar atenção aos pequenos sinais emitidos pelo corpo durante todo o percurso. Isso faz com que uma companhia nem sempre seja a melhor opção  tudo dependendo do tipo de treino do dia.

Introvertidos e extrovertidos

As pessoas não mudam sua personalidade quando praticam esportes, e isso acaba refletindo na escolha da modalidade. Segundo Nicole Detling, treinadora de desempenho mental da University of Utah Athletics, “introversão e extroversão acontecem em todas as áreas da vida, incluindo a corrida”.

Por isso, ela complementa dizendo que “um grupo de corrida em que se espera que as pessoas conversem seria mentalmente desgastante para um introvertido natural, afetando a performance”. Um exemplo dessa necessidade de concentração pode ser visto durante a tentativa de correr uma maratona em menos de 2 horas, no evento promocional da Nike chamado de Breaking2, feita por Eliud Kipchoge.

Os resultados do corredor queniano são impressionantes, e atualmente ele detém o recorde mundial da maratona com 2:01:39, tempo obtido na Maratona de Berlim de 2018. Mesmo assim, no dia da tentativa, um dos auxílios que ele teve à disposição foi um carro que indicava o ritmo ideal para que o objetivo fosse alcançado. Quem não pratica corrida pode achar isso totalmente dispensável, mas saber dosar a intensidade do esforço é um dos pontos que mais exigem do atleta durante uma prova.

Corrida recreativa

Depois que se passa pelo período inicial de adaptação à corrida, onde cada treino é bem desgastante, a atividade passa a ser relaxante em dias mais leves. Planilhas que exigem variações específicas de velocidade exigem mais atenção, mas ao sair correr sozinho em um ritmo confortável é muito fácil deixar o pensamento fluir, e novas ideias podem surgir espontaneamente.

Correr com companhia pode ser um fator motivador para algumas pessoas, porém em geral convém ter cuidado para que o evento social não se torne um martírio. Em situações como essa, é preciso prestar atenção aos sinais do grupo, garantindo que o ritmo esteja confortável para todos.

Quando você convidar aquele seu amigo mais experiente para um treino e ele negar, mas mesmo assim sair para correr no horário, não ache que é algo pessoal. Ele pode estar se preparando para uma prova específica e seguindo uma planilha que indica um treino mais pesado. Ainda sim, mesmo que você aguente a intensidade, conversar com uma corrida mais forte é um desafio dos grandes, além de que a diminuição do ritmo pode atrapalhar qualquer um dos dois.

Por isso, a melhor opção ao sair correr em grupo é manter um ritmo bem confortável, garantindo que a experiência seja a melhor possível e não faltem risadas para complementar o relaxamento proporcionado pelo exercício.

E você? Prefere correr sozinho ou jogando conversa fora com os amigos?