Um estudo preliminar conduzido pelo professor Eduardo Villamor da Universidade de Michigan alega que a carência de vitamina D em crianças pode ser uma das causas para as alterações comportamentais na adolescência; que incluem agressividade, ansiedade e depressão.

O estudo divulgado pelo The Journal of Nutrition neste mês analisou 3.202 crianças de 5 e 12 anos desde 2006. Além de coletar amostras de sangue, os responsáveis pela pesquisa elaboraram questionários (para a criança e seus pais) sobre sua alimentação, hábitos gerais, nível socioeconômico, escolaridade, além de dados fisiológicos como peso e altura.

Fonte: Pixabay

Após cerca de seis anos, cada indivíduo - não mais criança - foi novamente recrutado para dar sequência ao estudo, e neste momento, foi possível detectar a carência de vitamina D na maior amostragem dos adolescentes que apresentaram algum tipo de alteração comportamental, em relação ao seu primeiro resultado.

O estudo que foi realizado em parceria com a Universidade de La Sabana e a Fundação para Pesquisa em Nutrição e Saúde, ambas da Colômbia, afirma que estes dados embora preliminares, possam auxiliar em uma nova linha de pesquisas sobre as interferências desta vitamina no desenvolvimento da criança e do adolescente.