Que a felicidade traz vantagens para o nosso corpo não é novidade. Quando estamos felizes, nossa imunidade fica mais alta, a resistência à dor é melhor e, claro, a qualidade de vida aumenta. Por mais incrível que pareça, a tristeza também pode influenciar positivamente no nosso organismo.

É sempre importante estar atento quando nos sentimos tristes, pois se não for apenas algo passageiro, é necessário visitar um médico e entender a raiz do problema. Mas alguns momentos infelizes são inevitáveis e, se não podemos escapar deles, melhor saber como eles podem nos afetar de maneira positiva, não é mesmo?

A seguir, veja os principais "benefícios da tristeza" descobertos pelos cientistas nos últimos anos:

Melhora na comunicação

Por mais complicado que possa ser conversar com alguém quando não nos sentimos bem, a tristeza pode ajudar nessa troca de informações. Pesquisas mostram que pessoas tristes conseguem ser mais persuasivas durante a conversa do que pessoas alegres. Além disso, a tristeza também pode te ajudar a influenciar a opinião dos outros.

Ajuda na memória

A influência de sentimentos tristes no cérebro é vasta e nem tudo é claro. Apesar de ter características negativas, como a redução de habilidades analíticas e um pensamento mais abstrato, a tristeza também pode ser benéfica para a nossa caixola.

Experiências realizadas com pessoas tristes concluíram que elas são melhores no reconhecimento facial do que pessoas felizes. Inclusive, apresentam maior capacidade para lembrar de detalhes específicos do rosto ou de objetos e palavras.

Mais motivação

É batata: quando bate a tristeza, parece que só conseguimos nos lembrar de tudo que não está bom em nossas vidas. Isso é supernormal e, por isso, a infelicidade está associada à falta de motivação.

Porém, para a ciência, estar desmotivado não é uma consequência de estar triste. Pelo contrário, estudos mostram que a tristeza pode ser uma ferramenta motivacional eficaz, pois pessoas tristes querem sair da situação ruim em que estão, tendo mais disposição do que indivíduos alegres que, por estarem em situações mais confortáveis, podem ter sentimentos de estagnação e ficarem insatisfeitos.

Líderes, tristeza e criatividade

O que tem a ver essas três palavras juntas? Bem, um estudo constatou que equipes lideradas por pessoas que demonstram tristeza são mais criativas do que aquelas com líderes relativamente felizes. Além disso, o líder mais triste também é melhor na hora de tomar decisões.

Menor ingenuidade

Com tantas notícias falsas espalhadas por aí, quem diria que a chave para não cair nas fake news seria a tristeza? É isso mesmo! Pessoas tristes têm menor probabilidade de se desinformar do que pessoas felizes, ou seja, são mais céticos. Também são melhores em detectar fraudes.

Lidar melhor com as adversidades

Um estudo feito com 2.400 indivíduos mostrou que pessoas que haviam passado por um infortúnio antes do estudo tinham um emocional mais preparado do que outras que não passaram por situações similares. Isso quer dizer que viver situações ruins e ficar triste por elas prepara melhor o ser humano para as adversidades da vida.