Um novo estudo conduzido por Ronald Kahn, diretor acadêmico da Joslin Diabetes Center, e Mary K. Iacocca, professora de medicina da Universidade de Harvard, buscava analisar o papel que altos índices de frutose desempenhariam numa dieta, vendo como o metabolismo do corpo se comportaria. O estudo, que foi publicado no periódico Cell Metabolism no início de outubro, teve como base a alimentação de ratos com diversos tipos de dietas e a forma como se processou a absorção de gordura em seus organismos.

A frutose está presente em frutas, doces e adoçantes (Fonte: Pixabay)

Mudanças no metabolismo realizado pelo fígado

Os pesquisadores descobriram que altos níveis de frutose eram ruins para dieta, pois faziam o fígado acumular mais gordura. E nesse caso, não seria devido às calorias da frutose, e sim devido à inibição da capacidade do fígado de metabolizar a gordura.

A longo prazo, portanto, a frutose em excesso pode causar doença hepática gordurosa uma vez que o fígado ficaria inflamado, danificando as células e aumentando também o risco de desenvolver cirrose ou mesmo um câncer no órgão.

O papel da glicose na dieta

Um fato interessante que também foi percebido é que quando a frutose era substituída pela glicose, mesmo contendo as mesmas calorias, o efeito seria o oposto e a glicose auxiliaria no metabolismo dos alimentos no fígado.

(Fonte: Pixabay)

A frutose dos alimentos

Vale destacar, no entanto, que a frutose contida em frutas não representa perigo numa dieta equilibrada, pois o problema se encontra no fato de que esse açúcar está presente em doses acima do recomendado em muitos alimentos industrializados, como cereais, doces e adoçantes. Alguns estudos já vinham apontando, inclusive, que em muitos casos, a ingestão da frutose seria mais prejudicial que a do açúcar de mesa, também conhecido como sacarose.

Sobre a frutose, é importante destacar que ela passou a estar presente na composição de diversos alimentos industrializados a partir da década de 1970, quando muitos produtores inseriram altas doses de glicose e frutose no xarope de milho - ingrediente presente em muitas receitas ainda hoje. Por isso, vale a pena se atentar à composição dos alimentos que são consumidos no dia a dia.