Não é de hoje que cientistas de todo o mundo vêm tentando descobrir uma forma de retardar o envelhecimento e, por que não, prolongar em muitos e muitos anos as nossas curtas vidinhas. E, de acordo com o site Live Science, um grupo de pesquisadores parece ter identificado uma região do cérebro que pode ser a responsável por acelerar ou retardar o processo de envelhecimento, pelo menos em ratinhos.

Os cientistas descobriram que, ao bloquear uma proteína específica (conhecida como NF-kB) e introduzir um determinado hormônio (o GnRH) em uma área no hipotálamo, tanto a juventude como o vigor dos bichinhos era prolongado em 20%. E essa combinação de substâncias não só retardou o envelhecimento físico, mas também reduziu o declínio cognitivo, incentivando a regeneração neuronal.

O hipotálamo é responsável por controlar funções como o metabolismo, o crescimento e a reprodução e, aparentemente, a juventude também. Embora ainda não se saiba se essa mesma região é responsável por controlar o processo de envelhecimento em humanos, caso seja confirmado que sim, as implicações são gigantescas.

Fonte da juventude

Hipocampo de um ratinho Fonte da imagem: Reprodução/Live Science

Cientificamente, ainda não se sabe exatamente como é que o envelhecimento funciona, se todo o processo ocorre devido a diversas mudanças que são desencadeadas em determinados tecidos ou órgãos ou se se trata de uma ação pontual controlada por um único órgão.

Segundo os cientistas, caso o hipotálamo humano apresente as mesmas funções, não só seria possível frear o declínio físico com o uso das substâncias descritas acima, como também tratar doenças degenerativas relacionadas com o envelhecimento, como a demência, algumas lesões cerebrais e o Alzheimer.

Os pesquisadores agora esperam entender melhor qual é — em nível molecular — a função do hipotálamo no controle do envelhecimento e da longevidade, e encontrar formas de retardar esse temido processo em humanos.