Especialistas das universidades de Oxford e Bristol, no Reino Unido, divulgaram uma pesquisa que afirma que adolescentes que se autoproclamam góticos têm chance três vezes maiores de desenvolver depressão. Além disso, eles também têm maior tendência de se automutilar. Segundo os acadêmicos, as músicas ouvidas pelos góticos têm grande influência sobre seu comportamento, podendo exacerbar os sintomas da doença.

Por outro lado, eles observaram que adolescentes que já se sentem negligenciados por sua família ou colegas de escola são atraídos pelo estilo de vida gótico. "Jovens que são suscetíveis à depressão ou têm a tendência de se automutilar podem ser atraídos pela subcultura gótica, que é conhecida por envolver indivíduos marginalizados de todos os tipos, incluindo aqueles com problemas de saúde mental", afirmou a doutora Rebecca Pearson, da Universidade de Bristol.

A doutora Lucy Bowes, responsável pela pesquisa, entrevistou mais de 3,6 mil jovens em duas etapas, com 15 e depois com 18 anos de idade. Dos jovens que se consideravam góticos, 18% admitiram, na segunda parte da pesquisa, que sofreram de depressão, e 37% afirmaram já terem se automutilado, uma porcentagem 5% maior em relação a outras tribos e classificações de jovens analisadas.