Quando tinha 10 anos, Abi Longfellow descobriu que tinha uma grave enfermidade nos rins, chamada de doença por depósitos densos (DDD) – uma condição rara que ataca 1 pessoa a cada grupo de 1 milhão. Sua única alternativa era um transplante, mas, após a cirurgia, ela necessitaria tomar o remédio Eculizumab, que custa quase R$ 600 mil ao ano!

Por conta desse valor altíssimo, o National Health Service (NHS), o serviço de saúde pública do Reino Unido, negou o medicamento à garota. Ela passou os últimos 3 anos fazendo diálises todos os dias e resolveu se submeter à cirurgia mesmo sem garantia alguma de que a droga será fornecida após a operação.

“As pessoas dizem que eu sou corajosa, mas eu não tenho escolha. Se o NHS não me ajudar, eu tenho que arriscar mesmo assim, já que é minha única chance e eu prefiro tentar”, lamentou a garota, que hoje está com 13 anos. “Eu me esforço para fazer tudo o que os meus amigos fazem, mas não posso nem ir à escola”, complementa.

Diálises diárias podem fazer Abi pegar uma infecção fatal

Campanha de solidariedade

A doença de Abi impede que seus rins filtrem normalmente as impurezas de seu sangue. Em longo prazo, pode ser fatal, já que ela poderia pegar uma infecção e morrer com 2 anos de diálises – por isso a situação chegou a um momento crítico e delicado.

Durante cerca de 10 horas por dia ela é ligada a aparelhos que fazem os papéis de seus rins. O NHS falou que a situação de Abi é “difícil”, já que os médicos e peritos concluíram que não seria correto financiar um tratamento tão caro que não existe comprovação da eficácia em estágios como o da garota. Sua doença é bastante rara, mas não rara o suficiente para ser considerada um caso excepcional pelo NHS.

Enquanto esperam uma posição do governo britânico para o caso de Abi, seus pais lançaram uma página para angariar fundos para a compra do Eculizumab. Até o momento, apenas £ 31 mil das £ 390 mil necessárias foram arrecadadas. Você pode contribuir com qualquer quantia.

Abi passa 10 horas por dia fazendo diálise