Um empresário chinês desembolsou cerca de R$ 36 mil para realizar um fetiche com a modelo Mo Lulu – o problema é que o ato, realizado em um restaurante e diante de outros clientes, pode colocar os dois na cadeia.

Mo Lulu aceitou “amamentar” o empresário durante o jantar, permitindo que ele colocasse a cabeça por debaixo da sua roupa e a chamasse de “mãe” durante toda a brincadeira. A cena foi registrada por outros clientes do estabelecimento, que tiraram fotos (como a que ilustra esta matéria) e postaram na internet.

Esta não é a primeira vez que a modelo se vê envolvida em uma polêmica de caráter sexual. Em setembro, Mo chamou a atenção da mídia local após aparecer em uma série de fotos com homens comendo doces em seu corpo seminu.

O evento no restaurante ocorreu logo após uma feira de automóveis na cidade de Jiujiang, na província de Jiangxi. Nessa exposição, Mo compareceu fazendo poses sensuais, em trajes provocantes, ao lado de carros de luxo. Ela ainda deitou no palco e permitiu que as pessoas colocassem frutas no seu corpo.

Fonte da imagem: Reprodução/Shanghaiist

Porém, o ato de amamentar o empresário pode ter passado dos limites morais e violado leis sobre a prática de prostituição. A opinião pública criticou bastante a modelo pela tentativa de se promover dessa maneira, e há quem condene o ato como uma ofensa e o considere até mesmo um caso policial.

Os dois podem pegar de 10 a 15 dias de prisão, além de serem multados pelo ocorrido. Normalmente a polícia não se envolveria caso as fotos tivessem apenas o objetivo de escandalizar e chamar a atenção para a modelo. Parece, no entanto, que Mo Lulu passou um pouco do ponto e deverá pagar por isso – mas ela não deve ter problemas para pagar uma multa, não é mesmo?!