A cidade de Gotemburgo, na Suécia, entrou em um debate durante esta semana: afinal, o pinto gigante feito na neve deveria sair ou ficar?

Tudo começou quando um artista desconhecido, e ousado, foi até o fosso congelado do parque Kungsparken e, aproveitando a neve fresca que caiu sobre o gelo, desenhou um grande, e inconfundível, membro do sexo masculino.

Quando as reclamações começaram, os responsáveis pelo parque resolveram remover a “obra de arte”.

Porém, como sempre tem o outro lado da história, algumas pessoas não entenderam o motivo pelo qual o parque estragaria essa diversão inofensiva. Um grupo criou uma página no Facebook intitulada “Salvem o pênis de gelo”, e até uma manifestação foi planejada a seu favor para hoje, dia 22 de janeiro.

Para completar a novela, o homem que havia dado fim à “obra” parece ter se arrependido, e um pênis ainda maior renasceu.

Emilian Sava, que trabalha na manutenção do parque, diz que se sentiu mal após raspar o desenho do gelo. Em entrevista ao jornal Aftonbladet, ele contou que se sentiu um pouco triste ao ver as manifestações e decidiu consertar as coisas de alguma forma.

Para que as pessoas que passeiam pelo parque não se incomodem, a solução foi simples: fazer um pênis de proporções tão grandes que só poderá ser visto e identificado das alturas!

Para o criador da campanha e da página no Facebook, esta foi uma vitória para a liberdade de expressão: “No futuro, espero que as pessoas se envolvam mais na decoração da cidade em que vivemos, sem que o nosso modo de se expressar precise ser aprovado pelas autoridades. Quando um artista de renome pinta um pênis em tinta a óleo, ele pode pendurar a sua criação em uma galeria. Mas se um cidadão comum desenha um pênis na neve, é algo obsceno e que deve ser removido”, conclui.

A grande dúvida da população agora é sobre a identidade do artista que criou tanta polêmica na cidade!