Além de tocar cinco instrumentos musicais, falar sete idiomas e ter aprendido sozinho a jogar xadrez melhor do que um russo, existem outros fatores que podem indicar mentes geniais. Para determinar essas características, pesquisadores de diferentes partes do mundo analisaram o QI de uma série de voluntários.

O mais interessante é que eles descobriram que os QIs mais altos podem ser encontrados em pessoas normais que cultivam hábitos bastante triviais. A boa notícia é que isso aumenta as chances de você também fazer parte do seleto grupo de pessoas com um cérebro superpotente. Confira o artigo e veja se você se identifica com alguma das descobertas da ciência.

1) Ser virgem

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

O fato de que pessoas estudiosas tendem a passar mais tempo com os livros do que com parceiros é quase um senso comum. Mas não se deixe enganar com aquela velha ideia de que nerds não são atraentes, pois a explicação científica vai muito além disso.

Estudos realizados com graduados e pós-graduados das melhores universidades – como o MIT, por exemplo – comprovaram que o número de parceiros sexuais dos alunos mais inteligentes é bem menor do que o daqueles classificados com uma inteligência mediana. Ainda, os pós-graduados registraram um incrível índice de 45% de virgindade.

A primeira explicação para esse fenômeno está na testosterona. De acordo com o Listverse, estudos comprovaram que o hormônio responsável por parte das características masculinas é capaz de inibir a inteligência. A segunda justificativa está no fato de que pessoas inteligentes são mais conscientes dos riscos, o que as leva a evitar os perigos do contato interpessoal e faz com que alguns acabem recorrendo à masturbação. Por fim, sabemos que as pessoas que se dedicam mais aos estudos costumam ser reclusas, se expondo menos em situações sociais e diminuindo suas chances de encontrar um parceiro.

Um dos resultados desse tipo de comportamento foi o aumento do interesse por produtos que facilitam a busca solitária pelo prazer. O Telegraph, inclusive, aponta um levantamento que descobriu que os clientes que mais deram lucro para os sex shops britânicos no ano passado eram de diferentes regiões universitárias da Inglaterra.

2) Ter insônia

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Também não é segredo para ninguém o fato de que os gênios costumam ignorar os comportamentos tradicionalmente aceitos pela sociedade em geral. Um reflexo disso é que quase sempre eles acabam tendo rotinas próprias.

Um estudo realizado pela Escola de Economia de Londres indica que a insônia é uma tendência natural das mentes mais brilhantes que vivem entre nós. A pesquisa demonstrou que o número de horas de descanso por noite diminui conforme o QI aumenta. Podemos acreditar que um dos motivos que leva a esse tipo de comportamento é justamente um cérebro hiperativo que não consegue descansar ou talvez o fato de as noites serem mais quietas e propícias para ficar estudando até mais tarde.

3) Cultivar hobbies triviais

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Uma análise feita com os gênios aceitos ao longo da história revela que a maioria deles escolheu cultivar um hobby trivial ou colocar um exercício qualquer em prática apenas para buscar a satisfação pessoal. Acredita-se que isso possa ter uma ligação com a necessidade do cérebro de focar em atividades simples de tempos em tempos para facilitar a recuperação da mente depois de divagações intensas.

Independente da motivação, esse hábito foi compartilhado por grandes mentes da história. Albert Einstein, por exemplo, gostava de velejar. Já Stephen Hawking costumava fazer escaladas, remar e chegou até a escrever livros infantis como hobby.

4) Ter olhos claros

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Infelizmente, a cor dos olhos é uma característica física que não pode ser alterada. De qualquer maneira, não deixa de ser uma boa notícia para os que foram agraciados com olhos claros, ao mesmo tempo em que também não significa que aqueles que têm olhos escuros são menos capazes.

Os fatos simplesmente apontam a existência de uma relação direta entre a cor dos olhos e as diferentes áreas em que as pessoas se saem melhor. Um estudo demonstrou que pessoas de olhos claros têm uma tendência a ultrapassar as expectativas em atividades estratégicas e que possam ser desenvolvidas no seu tempo – que é basicamente o que a ciência faz. De fato, cientistas renomados, como Carl Sagan e Stephen Hawking, tinham olhos azuis.

Já as pessoas de olhos castanhos tendem a se sair melhor em atividades que tenham ritmo e exijam respostas rápidas. Isso significa que esses indivíduos estão mais aptos a praticar esportes ou outras atividades que envolvam reação. Em resumo, existe uma carreira ideal para cada tipo de pessoa.

5) Desenhar

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Existe uma coisa que os gênios e os artistas têm em comum: a habilidade de processar o pensamento abstrato de maneira efetiva. Isso significa que mentes brilhantes aprendem como se expressar abstratamente sem dificuldades. Como os métodos de comunicação tradicionais não são suficientes para cérebros avançados, as teorias e ideias precisam ser representadas em formas de imagens, desenhos, entre outras.

Indivíduos com um QI mais alto tendem a compartilhar e explicar suas ideias de maneira que se façam entender mais facilmente. Nesse caso, atividades artísticas podem servir como uma válvula de escape para que a inspiração alcance o mundo físico. Artistas como Van Gogh ou Pablo Picasso certamente entrariam na categoria de desenhistas mais do que avançados, enquanto gênios da música – como Beethoven e Mozart – escolheram uma maneira diferente de expressar seus instintos criativos.