Você viu a imagem acima — na qual a Lua aparece de supetão e exibe a “traseira” na foto da Terra? De acordo com Ian O’Neill, do portal Seeker, o flagra foi clicado pelo satélite espacial DSCOVR (Deep Space Climate Observatory), lançado em órbita no início do ano passado para observar o nosso planeta. O satélite deve ter ficado chateado com a falta de atenção e resolveu se exibir para os terráqueos!

Falando sério agora, segundo Ian, o satélite faz parte de um projeto da NOAA, uma agência governamental dos EUA, em conjunto com a NASA e a Força Aérea norte-americana, e foi lançado em uma órbita que se encontra em uma órbita além da órbita da Lua. Isso significa que, inevitavelmente, o satélite passará entre a Terra e o equipamento em algumas ocasiões. Veja uma animação do registro a seguir:

De novo, Lua?

A sequência que você acabou de ver acima foi capturada pelo DSCOVR no último dia 5 julho — e, segundo a NASA, as fotos foram clicadas ao longo de um período de aproximadamente quatro horas. Nas imagens da Terra, é possível ver primeiro a Austrália e o Pacífico e, depois, conforme o planeta segue girando, a Ásia e a África aparecem gradualmente.

Além disso, também podemos ver o “lado oculto” da Lua, chamado assim porque, como o satélite mantém uma rotação sincronizada com o nosso planeta, nós, terráqueos, só conseguimos ver uma de suas faces — e que não é essa que aparece na foto, evidentemente!

Mas voltando a falar sobre a aparição da Lua em imagens clicadas da Terra, essa não é a primeira vez que o satélite dá uma de exibido e faz uma aparição nas fotos clicadas pelo DSCOVR. Há um ano, em julho de 2015, a Lua também foi flagrada transitando diante do equipamento, e você pode ver o registro abaixo:

Vale destacar que o DSCOVR não está em órbita apenas para clicar a beleza esférica e azul do nosso planeta. Sua principal missão é a de monitorar o ambiente espacial ao redor do nosso planeta, assim como permitir que os cientistas possam acompanhar padrões climáticos, cobertura de nuvens, vegetação e partículas em suspensão na atmosfera.