Os astrônomos e cientistas da Universidade do Havaí e da Universidade de Genebra descobriram algo que agitou inúmeras pessoas ao redor do mundo: um planeta bastante parecido com o nosso, com quase o mesmo diâmetro e grau de densidade (característica que sugere uma composição física bastante parecida). Batizado de Kepler 78b, existe um fator crucial que impede que ele sustente qualquer tipo de vida: está exageradamente próximo de seu sol.

A órbita do Kepler 78b é tão pequena que ele completa um ano (ou seja, uma volta inteira ao redor de sua estrela) em apenas 8h30. Para termos uma noção mais palpável disso, o céu desse mundo é quase que inteiramente dominado pelo seu sol em chamas, ocupando exatamente metade do espaço aéreo em tempo permanente.

Por causa disso, as temperaturas em Kepler 78b são altíssimas, incapazes de abrigar seres vivos (ele está 100 vezes mais próximo da sua estrela do que nós da nossa). Com um núcleo bastante rochoso e composto predominantemente por ferro, o Kepler 78b possui uma densidade muito similar à da Terra.

Um irmão gêmeo em chamas

A densidade dele é de 5,3 gramas por centímetro cúbico, enquanto a do nosso planeta é de 5,52 gramas. Infelizmente, como está próximo demais do seu sol não há possibilidade de que seres vivos possam se desenvolver em seu território, por mais que as condições físicas do Kepler 78b sejam, teoricamente, favoráveis. Entretanto, como não existe água em Kepler 78b devido ao calor, não há como vida também existir.

Os especialistas dizem que basicamente todo o território do planeta deve ser composto por lava, com temperaturas que ultrapassam os 2.500 °C. Muitos dos astrônomos se perguntam como a estrela não destrói o Kepler 78b por completo com sua força gravitacional. Se ele possuísse uma órbita consideravelmente maior, é bastante provável que fosse capaz de abrigar seres vivos.

O Kepler 78b está tão próximo do seu sol que deve ser engolido em 3 bilhões de anos. Ele está localizado na constelação de Cisne, a 400 anos-luz de distância de nós e, apesar de ser um mundo infernal, traz ótimas notícias para os especialistas. Planetas com a densidade favorável do Kleper 78b e da Terra podem não ser tão raros assim– só é necessário procurar por aqueles com órbitas maiores.

Via Tecmundo