Sexo e comércio geram bilhões de dólares em todo o mundo todo ano. O dinheiro envolvido gira em torno de vários negócios, desde a indústria pornográfica até as garotas de programa e acompanhantes. Porém, tudo isso se remete aos sentidos, sensações, fetiches e vontade de prosperar dos seres humanos. Apesar do valor monetário não estar ligado, obviamente, outros animais também costumam “nhanhar” para conseguir favores.

Pinguins, macacos e até golfinhos podem trocar o belo corpinho para conseguir algo especial. Se isso é certo ou não em nosso mundo, a resposta é moral e quem decide é você. Porém, se quiser conhecer mais sobre esse universo animal de sexo e poder, acompanhe a lista abaixo.

Quem nunca foi pinguim macho?

É amigos, ser corno não é algo que atinge apenas os humanos. Se você não sabe, trata-se de um fato até que "comum" entre os pinguins. Para atrair uma fêmea, o macho costuma construir um belo ninho de pedras. Se ele tiver sucesso, o casal começa a construir junto outro ninho também de pedras. Para encontrar novos minerais, ambos também saem à caça. Porém, a fêmea pode usar uma estratégia diferente.

Ao se deparar com outro macho, que não seja seu companheiro e que esteja cuidando de algumas pedras, ela vai fazer sexo com ele e receber estas pedras em troca. E o mais incrível? A fêmea só faz isso quando o seu companheiro não está olhando ou próximo.

Quem ama cuida

Macacos machos não conseguem uma macaca em estabelecimentos "pay to win" ou em esquinas mal iluminadas. Por isso, eles precisam cuidar da sua parceira para ter uma companheira fiel e que faça sexo.

O ato de cuidar da higiene, como procurar por piolhos, é muito apreciado pelas fêmeas. Por isso, se o macho sempre estiver presente para realizar o "carinho", elas costumam ficar por mais tempo e serem mais fiéis aos companheiros.

Sexo por flores

Nós, humanos, costumamos levar a companheira (ou o companheiro) para jantares e entregamos flores esperando uma noite de prazer. Com o beija-flor, essa lógica segue ao contrário.

Os machos costumam dominar as melhores áreas de flores e arbustos que estão recheadas de néctar, algo essencial para manter esses pássaros vivos, já que o metabolismo é extremamente rápido.

Por isso, as fêmeas costumam copular e se juntar a algum macho dominante. Assim, ela pode usufruir de flores e alimento sem qualquer problema.

Enchendo a pança

Para um grilo conseguir inseminar a sua parceira, ele precisa de algo que encha a pança dela. Isso acontece porque, durante a cópula, o inseto deposita um saco de esperma na fêmea. Se ela estiver faminta, vai comer este saco — e adeus pequenos grilinhos. Então, para tudo funcionar nos conformes, o macho precisa alimentar muito bem a companheira antes de fazer amor.

PornMonkey

Os macacos-capuchinhos (ou Cebus) costumam ter as atividades pesquisadas de perto por vários cientistas. Em um dos estudos, eram entregues "tokens" (ou moedas) aos macacos para eles trocarem por outros itens. O que aconteceu em seguida foi impressionante: começaram a trocar sexo por moedas ou por fotos de macacos do gênero oposto — como um digno pornozão. Quem diria?

Golfinho cafetão

Os golfinhos machos têm um comportamento incomum: eles costumam retirar uma fêmea do bando para fazer sexo apenas com ela. Então, permite que outro macho se junte no ato. Assim, os três vivem em uma eterna pequena suruba — o que aumenta consideravelmente a possibilidade de procriação.

Empalamento, morte e sexo

O gray shrike é um pássaro que só pode ser sádico ou serial killer: eles pegam vários insetos e pequenos mamíferos, empalam os bichos em gravetos e os deixam morrer lentamente. Quando o ritual está completo, entregam esse "totem da morte" para a fêmea como presente. Se ela aceitar, o casal é formado.

Esse "totem" também define o nível da gray shrike fêmea. Por exemplo, se outro pássaro desejar o seu corpinho cheio de belas penas, ele precisa fazer um graveto da morte do mesmo tamanho ou maior do que ela ganhou anteriormente.

Esse bicho é destruidor

A louva-a-deus fêmea é muito poderosa — e sanguinária também. Durante a cópula, ela pode morder e comer a cabeça do macho. Decepar a cabeça do companheiro é apenas um prêmio.

Contudo, muitos louva-a-deus machos saem vivos da empreitada. Isso porque eles são controlados pelos nervos no abdômen, não da cabeça. Infelizmente, mesmo assim eles não duram muito. A selva é muito perigosa para um inseto sem olhos, boca e cabeça.