Ao longo da História, diversas espécies de animal foram “convocadas” pelos Exércitos de seus países para colaborar em tempos turbulentos. Aliás, não é nenhum segredo que muitos bichinhos continuam sendo treinados para servir às suas pátrias! O curioso é que, de vez em quando, uma ou outra criatura acaba sendo capturada e acusada de espionagem, e a seguir você pode conferir cinco casos inusitados:

1 – Tubarões terroristas

Em 2010, no famoso resort Sharm el-Sheikh, localizado às margens do Mar Vermelho, no Egito, diversos ataques de  tubarões a turistas deixaram todo mundo preocupado. No entanto, os incidentes também levaram as autoridades egípcias a suspeitar de que os peixões haviam sido treinados pelo Mossad, o serviço de inteligência israelense.

De acordo com os rumores, os animais haviam sido levados até a região com o propósito de espantar os turistas. Os israelenses, por sua vez, negaram ter qualquer envolvimento com os ataques e explicaram que eles também tinham resorts no Mar Vermelho, o que significa que eles também poderiam sair prejudicados pela presença dos animais.

2 – Falcão suspeito

Há cerca de quatro anos, um falcão portando uma pequena câmera foi encontrado morto na tumultuosa fronteira entre a Índia e o Paquistão. Os indianos foram os primeiros a pôr as mãos no cadáver da ave e logo levantaram suspeitas de que o finado pássaro havia sido treinado pelos paquistaneses para ficar de olho nas tropas do Exército Indiano que realizavam treinamentos na área.

Contudo, após investigar o caso, os indianos descobriram que se tratava de uma câmera simples demais — e não uma que seria utilizada pelos serviços de inteligência — e concluíram que o suposto “agente secreto” provavelmente pertencia a caçadores paquistaneses.

3 – Abutre sorrateiro

No início de 2016, um abutre enorme foi capturado por camponeses assustados enquanto sobrevoava um vilarejo no Líbano. O bichão — que tinha quase 2 metros de envergadura — levantou suspeitas por estar equipado com um dispositivo de rastreamento na cauda e foi acusado de espionagem.

Os captores pensaram que a ave havia sido treinada pelos israelenses para sondar o território libanês. No entanto, o pobre animal fazia parte de um esforço liderado pela Universidade de Tel Aviv, em Israel, em parceria com instituições de outros países, para reintroduzir as aves de rapina no Oriente Médio. Por sorte, os camponeses se convenceram de que o abutre não tinha más intenções e devolveram o bicho em segurança.

4 – Golfinho vigilante

Em meados de 2015, o Hamas — grupo fundamentalista palestino — anunciou que havia capturado um golfinho espião treinado pelos israelenses na região costeira de Gaza. Segundo os militantes, o animal havia sido equipado com câmeras e outros dispositivos próprios para a espionagem, e Israel preferiu nem responder às acusações.

Entretanto, apesar de a história com o golfinho parecer maluquice, vale lembrar que a Marinha dos EUA tem um programa focado em treinar esses animais — mas não para o mal! Os golfinhos são treinados para identificar possíveis ameaças sob o mar e para localizar minas.

5 – Esquilos espreitadores

Por mais absurdo que possa parecer, em 2007, os iranianos anunciaram que o serviço de inteligência do país havia desmantelado uma célula espiã composta por — se prepare para esta! — 14 esquilos.

Os roedores teriam sido descobertos próximo à fronteira do Irã e estariam equipados com aparelhos de escuta. Todos os integrantes da rede de espionagem foram levados sob custódia pela polícia e, infelizmente, não sabemos que fim os bichinhos levaram.

Bônus

Macaquinho napoleônico

No século 19, a Inglaterra e a França se envolveram em uma série de conflitos que ficaram conhecidos como “Guerras Napoleônicas”. Reza a lenda que uma das batalhas acabou com um navio francês naufragando próximo à cidade portuária britânica de Hartlepool e, para a surpresa da população local, que esperava tomar os sobreviventes como prisioneiros, a embarcação estava ocupada apenas por um macaquinho vestindo uniforme militar.

Em vez de achar graça do animalzinho “fantasiado”, os habitantes de Hartlepool acusaram o macaco de ser um espião e o submeteram a um longo interrogatório. Obviamente, ninguém conseguiu arrancar uma palavra sequer do bicho — e o coitadinho foi levado ao tribunal e condenado à morte por enforcamento.

*Publicado em 25/02/2016