Você já conheceu aqui no Mega Curioso a história do urso que foi membro oficial do exército polonês, sendo muito mais do que um simples mascote. Agora, você vai poder conhecer a jornada de outro animal que também trabalhou de missões militares: o elefante asiático Lin Wang.

O animal participou da Segunda Guerra Mundial transportando suprimentos japoneses ao redor das selvas da Birmânia. Em 1943, seu tempo com o exército japonês chegou ao fim, pois ele foi capturado por soldados chineses.

A Segunda Guerra Sino-Japonesa, que mais tarde se tornaria a Frente do Pacífico da Segunda Guerra Mundial, começou em 1939, reacendendo uma luta de décadas entre a China e o Japão. As forças entraram em confronto no continente asiático, lutando na China, bem como na Birmânia (então controlada pelos britânicos, sendo agora Myanmar).

Trabalho duro

Lin Wang foi empregado pelos militares japoneses como um operário encarregado de transportar suprimentos. Porém, como citado acima, seu serviço terminou em 1943, quando as Forças Expedicionárias chinesas tomaram a sua unidade. Os chineses saíram vitoriosos e levaram Lin Wang como prisioneiro junto com outros elefantes.

O grandalhão foi então forçado a continuar a mesma rotina de trabalho, mas agora para os aliados. Ele então foi transferido para a China. Depois dessa temporada no país, o elefante foi enviado para Taiwan para ajudar na formação de novas tropas chinesas. Até o momento que ele chegou a Taiwan, ele era o único elefante do grupo original que permaneceu vivo.

O merecido descanso

O serviço de Lin Wang continuou até 1954, quando finalmente ele foi aposentado e enviado ao Zoológico de Taipei, em Taiwan. Foi lá também que esse pobre elefante trabalhador encontrou o amor, conhecendo a sua companheira de vida, a fêmea Ma Lan. Além disso, ele era um sucesso entre os visitantes do zoológico.

Lin Wang também se tornou conhecido por ter sido o elefante mais velho em cativeiro já registrado. Enquanto a maioria dos elefantes asiáticos vive em torno de 60 anos, Lin Wang conseguiu atingir 86!

Ele morreu em 2003. Mas, além de problemas de saúde provocados pela idade avançada, sua morte pode ter sido o resultado de tristeza: a sua companheira Ma Lan havia morrido um ano antes e o elefante supostamente estava em depressão por esse motivo.

A morte de Lin Wang foi lamentada pelo povo de Taiwan, que acendeu incensos e queimou dinheiro (uma prática tradicional), deixando também flores e cartões em sua antiga casa. Como homenagem, o zoológico de Taipei encontrou uma maneira de eternizar esse animal, criando uma estátua em tamanho natural dele (imagem acima).