Todos nós aprendemos a diferenciar os animais domésticos dos animais selvagens ainda na infância. Os bichos da floresta só entravam em nossas casas se fossem de pelúcia, e só podíamos admirá-los bem de longe, por trás da grade do zoológico.

Você já viu aqui no Mega Curioso que, dentro de casa, algumas espécies selvagens podem causar preocupação, gastos e até fatalidades. Só que tem gente disposta a superar esses impasses. Olha só:

1. A família paranaense que adotou leões e tigres

Já pensou ter que expulsar um leão da sua cama por ele estar ocupando muito espaço? Pois é, uma família da cidade de Maringá (PR) não vê nenhum problema em enfrentar essas feras. Ary e Raquel Borges da Silva tratam de nove tigres, dois leões, um macaco e um cachorro da raça Chihuahua. 

Antes de ganharem um novo lar, os animais selvagens — que sofriam maus-tratos em circos e fazendas — tiveram que ser adestrados por Ary para poderem viver debaixo do mesmo teto que a família. Criticados por ONGs no começo, o casal afirma que atualmente elas apoiam o resultado.

2. Urso: o melhor amigo de um homem

O naturalista Casey Anderson provou para o mundo todo que não só os ursos de pelúcia podem ser fofos e dóceis. Tudo começou quando ele livrou da morte um filhote de urso cinzento, a quem ele deu amor, carinho e um nome: Brutus.

Tamanha consideração levou Anderson, que é cinegrafista da vida selvagem e apresentador do canal NatGeo Wild, a eleger Brutus como um dos padrinhos do seu casamento. Ele também abriu um abrigo para ursos cinzentos no estado norte-americano de Montana.

Aos que pretendem adotar um urso, o naturalista ressalta que não é lá uma ideia muito recomendável. O seu caso é bastante particular, visto que ele é um profissional experiente, acostumado a lidar com as adversidades do trabalho de registrar a vida selvagem.

3. A fêmea de veado fadada a ser sacrificada que foi adotada por uma família nos EUA

Após sua mãe ter sido atropelada, Lily, ainda filhote, foi acolhida por um casal de Michigan, nos Estados Unidos. Apesar de eles nunca terem cogitado abrigar o animal definitivamente, decidiram que cuidariam dela até que alguma solução fosse tomada. Só que o tempo passou, e Lily cresceu, assim como o amor do casal por ela. Ambos, que nunca tiveram filhos, sempre reservaram um afeto especial pelos animais.

Um dia, autoridades bateram à porta da residência do casal após receberem uma denúncia de que eles estariam abrigando um animal selvagem em casa — o que é ilegal em alguns estados norte-americanos. Lily, além de deixar a casa onde foi criada, teria que ser sacrificada, pois era incapaz de viver sozinha na natureza.

Felizmente, uma rede de apoiadores se mobilizou e conseguiu que a casa onde Lily vivia fosse considerada um santuário da vida animal, com a condição de que ela fosse a única residente. E a história não acaba aí: ainda por cima, a história da fêmea de veado virou livro infantil — com um belíssimo final feliz!

Que animal selvagem você gostaria de ter como bicho de estimação? Comente no Fórum do Mega Curioso!