Um osso humano de mais de 90 mil anos foi encontrado por arqueólogos da Comissão da Arábia Saudita para o Turismo e do Patrimônio Nacional e por pesquisadores da Universidade de Oxford. O material foi localizado perto da cidade de Tayma, e se as análises posteriores confirmarem que o osso era realmente humano, poderemos dizer que seres humanos saíram da África 30 mil anos antes do que se pensava até o momento.

Em termos evolutivos, até então se acreditava que seres humanos fizeram sua primeira viagem para fora do continente africano há 60 mil anos, 140 mil anos após o surgimento do Homo sapiens. Agora, com o osso encontrado – e que parece ser de um dedo médio – toda a história da humanidade pode ser reescrita em termos de migração.

Mudanças importantes

Giphy

De acordo com uma declaração feita por Ali Ghabban, chefe da Comissão Saudita de Turismo e Patrimônio Nacional, esse osso encontrado é um indício de que a vida humana existe há 325 mil anos.

Além de alterar essa questão fundamental do tempo em que os humanos estão no planeta, a descoberta pode ajudar pesquisadores de todo o mundo a entenderem melhor as rotas feitas pelas primeiras pessoas que saíram da África. Em termos de itinerário, há duas hipóteses atualmente: uma delas acredita que essas pessoas saíram pelo Egito e pelo Sinai; a outra, que viajaram pela Etiópia e pela Arábia.

Ainda que esse osso possa ser o mais antigo osso humano já encontrado, vale lembrar que arqueólogos já localizaram um osso na Etiópia, de uma espécie já extinta, que vivia há 2,8 milhões de anos.