A artista visual Dani Lessnau resolveu fazer um ensaio sobre os homens com os quais têm experiências sexuais. Para capturar esses momentos íntimos, ela escolheu um jeito bastante peculiar e, basicamente, acoplou uma câmera espiã dentro da própria vagina – para ela, isso permitira que as fotos capturassem os momentos de vulnerabilidade desses homens.

Sobre seu método inusitado, Lessnau explicou que inseriu a câmera e que ajustava seu corpo de acordo com a necessidade de luz que precisaria para capturar as imagens, chegando a ficar na mesma posição por até dois minutos. Logo após a realização da gravação, ela retirava a câmera de seu corpo.

“Parece com uma penetração. Há um certo contato entre a câmera e a minha respiração”, explicou a artista, dizendo que por isso é que suas fotos foram feitas de maneira física.

Intimidade fotografada

A paixão pela fotografia começou quando Lessnau teve uma doença que a deixou muito vulnerável – aliás, foi essa vulnerabilidade que a fez enxergar a característica não como um sinal de fraqueza ou de força, mas sim algo entre as duas coisas.

Os homens que participaram do projeto sabiam que estavam sendo registrados e concordaram com o ensaio: “Eles sabiam que eu estava explorando diferentes camadas de intimidade. Quando eu falei sobre a ideia com eles, eu disse ‘eu estou trabalhando neste projeto e eu realmente gostaria que você fosse uma parte dele’”, contou. E você, o que achou da ideia?