Nunca fotografamos e fomos fotografados tanto como agora. Em poucos anos, deixamos de comprar rolos de filme fotográfico e colocar nossos registros em álbuns para escolher celulares com câmeras de altíssima qualidade e compartilhar nossos cliques nas redes sociais. Ou seja, a fotografia — que já foi um registro físico e particular —, na era digital, acabou virando um meio de comunicação das massas.

Interessado na importância que o ato de tirar uma foto adquiriu no mundo contemporâneo, o fotógrafo Fábio Seixo elaborou uma série de imagens que fazem refletir sobre a obsessão moderna de capturar momentos através da tela de um dispositivo móvel, em vez de vivenciá-los em toda a sua totalidade. 

corpo

A ideia para o projeto surgiu em 2005, quando o carioca visitava o Museu do Louvre, em Paris, na França. Na ocasião, ele ficou abismado com a quantidade de pessoas se espremendo e disputando espaço apenas para tirar uma foto do quadro da Mona Lisa, a famosa pintura de Leonardo da Vinci. Aquilo o fez perceber a necessidade de as pessoas viverem, através de uma câmera, as experiências do presente. 

"Pensei: 'Nossa, que loucura. Será que essas pessoas não conhecem a Mona Lisa?'. Então, tive um estalo e vi que elas, na verdade, viajam muito mais para marcar território e dizer que estiveram lá do que para curtir a viagem", reflete Seixo. A seguir, você confere uma galeria com as imagens do seu ensaio fotográfico, intitulado "Photoland":