A finlandesa Liisa Hietanen é uma pessoa que realmente gosta de fazer crochê. Seu amor pelo fio e pela agulha é tanto que, com o passar do tempo, ela começou a produzir trabalhos cada vez mais bem elaborados.

Na Finlândia, o crochê é um passatempo bastante comum – tanto que os competidores finlandeses que estão participando das Olimpíadas de Inverno de 2018 já foram vistos crochetando antes e depois das competições.

Para Hietanen, o crochê, além de um passatempo, é uma forma de criar esculturas de pessoas. Seu gosto pelo crochê começou durante as aulas de Arte na escola, e a primeira escultura que fez foi justamente para homenagear a sua professora – veja na foto abaixo:

Liisa Hietanen

Pessoas do cotidiano

Hietanen resolveu transformar pessoas de seu cotidiano e que moram, assim como ela, no vilarejo de Hämeenkyrö, em esculturas de crochê. Aos poucos, ela foi pedindo para que cada uma modelasse e, conforme ia encontrando seus modelos, combinava as poses com as pessoas e as fotografava de diversos ângulos, além de tirar as medidas de cada um, para que o resultado final ficasse perfeito.

A maior parte do trabalho é feita com base nas fotos, mas Hietanen eventualmente encontra seus modelos de tempos em tempos para garantir que está tudo correndo bem.

As esculturas são estruturadas com vergalhões e, para dar o peso real a cada uma delas, a artista faz preenchimentos com cimento. O acabamento adiposo, digamos assim, é feito com materiais mais macios, que podem ser modelados e que criam uma textura mais suave.

Comparação

Para a artista, seu trabalho é comparável a modelagens feitas com argila, com a diferença de que as formas das esculturas são feitas linha a linha.

Hietanen aprendeu a fazer crochê e tricô quando tinha 10 anos. Ela sabe pintar também, mas é com fio e agulha que consegue se expressar do jeito que mais gosta.

“Eu estudo a essência da familiaridade e divido experiências. Eu encontro os mesmos estranhos familiares todos os dias nas ruas e o nosso mundo comum é do tamanho de um pequeno vilarejo. Estou retratando o momento presente registrando meus arredores, mas ao mesmo tempo eu estou trazendo para fora algo comum a todos nós”, disse a artista, em declaração publicada no Mother Nature Network.

Outros enfoques

Além de criar versões em tamanho real de diversas pessoas, Hietanen trabalha também com objetos do cotidiano, recriando itens que vão desde alimentos e louças até ambientes completos, como seu banheiro de crochê – veja a seguir e depois nos conte o que achou do trabalho dela: