O meteorito que atingiu a região de Chelyabinsk na semana passada tem dado o que falar, e só agora informações mais detalhadas sobre o evento estão sendo reveladas. De acordo com a ESA — Agência Espacial Europeia —, no momento da entrada na atmosfera, o objeto viajava a uma velocidade de 64 mil quilômetros por hora, e provocou uma explosão de 500 quilotons de TNT, ou seja, 30 vezes a energia liberada pela bomba atômica de Hiroshima.

A explosão ocorreu entre 15 e 20 quilômetros da superfície da Terra, e através da análise de ondas sonoras de baixa frequência captadas pela rede global de satélites, os cientistas conseguiram calcular o tamanho do meteorito que, de acordo com as estimativas, contava com um tamanho de 17 metros e massa entre 7 e 10 mil toneladas.

Estragos

Com relação aos danos provocados pela queda e explosão sônica, os cientistas concluíram que o meteorito viajava com uma trajetória pouco inclinada e sua entrada na atmosfera provocou ondas de choque cilíndricas diretamente sobre a cidade de Chelyabinsk. Isso fez com que a pressão atmosférica ficasse 20 vezes mais alta do que o normal, e foi esse aumento que ocasionou os estragos nas estruturas e quebrou tantas janelas.

Conforme explicaram os cientistas da ESA, considerando o que se sabe hoje sobre os objetos celestes que orbitam próximo à Terra, eventos como o que ocorreu na semana passada em Chelyabinsk são esperados uma vez a cada 100 anos.