Falar sobre sexo, por mais que nos consideremos supermodernos e descolados, ainda parece ser um tabu, e se não fosse, não existiriam tantas mulheres fingindo orgasmos nem tantos homens achando que precisam fazer igual o que acontece em filmes pornográficos para mandar bem.

Na verdade, o sexo precisa ter intimidade e um esforço dos dois lados, para que todos tenham seus desejos explorados e realizados. Um estudo recente, publicado no Journal of Sexual Medicine, falou sobre o tempo ideal do sexo, especialmente pela perspectiva feminina.

Os resultados revelaram que relações que duram entre 1 e 2 minutos são consideradas muito curtas. Quando o sexo dura entre 3 e 7 minutos, ele é considerado “adequado”; entre 7 e 13 minutos é o “desejável”, e entre 10 e 30 minutos, “muito longo”.

O que importa é a qualidade

É normal que casais que estejam juntos há mais tempo não façam questão de grandes maratonas sexuais, certo? De qualquer forma, esses resultados podem nos dar algumas dicas sobre a vida sexual das pessoas e o que elas esperam entre quatro paredes.

Pelo visto, o tempo em si não importa muito, mas também sempre é bom lembrar aos homens heterossexuais que o corpo das mulheres funciona de forma diferente, que é preciso investir em preliminares e dar atenção ao famigerado clitóris. Para todos, a lembrança que mais vale, no entanto, é a de que a vida real não é como a pornografia pode nos fazer pensar. Mantenham isso em mente e boa sorte.