No mundo todo, medidas estão sendo tomadas em relação ao aquecimento global. A  cada dia vemos novas evidências de que, lentamente, o planeta vai cobrando o preço pelo excessivo uso de seus recursos. Além disso, sempre existe a ameaça de um conflito de proporções globais, que pode pôr em risco a existência da raça humana.

Por isso, a Dinamarca construiu um “Silo do Fim do Mundo”, no intuito de preservar sementes do mundo todo; assim, caso algo aconteça e a extinção de alguma espécie seja iminente, medidas podem ser tomadas na região afetada, e a base para a reconstrução estará estocada nessa estrutura.

Como já mostramos aqui no Mega, o silo sofreu uma infiltração em 2017, quando o permafrost, tipo de solo encontrado em regiões muito frias, começou a derreter. Até foram considerados vários possíveis desastres naturais, mas esse não estava na lista.

Exemplo de permafrostExemplo de permafrost

A reforma do Silo

Agora, foi anunciado que a Noruega vai gastar US$ 13 milhões para construir um novo túnel de acesso em concreto e uma edificação auxiliar para gerar energia em caso de emergência, além de manter a refrigeração de equipamentos que geram calor enquanto funcionam. A estrutura é capaz de armazenar 4,5 milhões de diferentes tipos de sementes, mas atualmente mantém 890 mil amostras de praticamente todos os países do mundo.

2

Em 2015, a reserva foi utilizada para alimentar outros silos, localizados no Marrocos e no Líbano, após o banco de sementes localizado em Aleppo, na Síria, ter sido danificado devido à guerra civil no país. Desde então, as amostras foram cultivadas e estocadas novamente na Dinamarca, em 2017.

Na mesma região, existe outro arquivo, mas esse guarda dados de uma forma comercial. Com o mesmo objetivo do silo de sementes, ele promete estocar qualquer tipo de material e proteger contra catástrofes. Parando para pensar, iniciativas como essa são necessárias, pois não sabemos aonde nossas atitudes estão nos levando. Esperamos que os problemas futuros sejam menores do que aparentam.