Mesmo quem não é muito afeito às curiosas obras de arte japonesas já deve ter se deparado com a pintura popularmente conhecida como "The Great Wave off Kanagawa" alguma vez na vida. Essa xilogravura é uma das peças mais importantes e famosas do Japão e retrata uma onda gigante indo de encontro a três barcos na costa da província japonesa Kanagawa. A maioria das pessoas clama que se trata de uma tsunami, mas um recente estudo sobre ondas vagalhões (ou rogue waves) descobriu que talvez essa opinião esteja equivocada.

Rogue waves atraem a curiosidade dos estudiosos da área há muito tempo e, desde sempre, são um mistério para a ciência. Pensando nisso, um grupo de pesquisadores da Universidade de Oxford resolveu mergulhar  de cabeça no assunto para desvendar como elas se formam. Essas ondas são um tanto traiçoeiras. Impossíveis de prever, elas surgem sem dar aviso algum e podem causar estragos inimagináveis.

Para analisarem melhor a origem desse fenômeno natural, os pesquisadores construíram sua própria "máquina de ondas" e tentaram recriar (em uma escala menor, óbvio) as enigmáticas rogue waves em laboratório. Contudo, algo inesperado aconteceu. Para a surpresa de todos, uma das fotos tiradas no estudo parecia quase uma réplica exata da onda retratada em "The Great Wave off Kanagawa". Essa coincidência pode significar que talvez a pintura não estivesse representando uma tsunami, mas uma rogue wave, afinal.

Curiosidades artísticas à parte, agora que os pesquisadores descobriram como recriar exemplos dessas ondas em laboratório, eles poderão estudá-las dentro das condições ideais com os sensores e o monitoramento necessários. Dessa forma, é possível que a origem dessas ondas gigantes e devastadoras seja finalmente encontrada. Se as expectativas forem alcançadas, poderemos evitar que desastres aconteçam, prevendo quando e onde as temidas rogue waves irão aparecer.