Há anos os biólogos já tem alertado para o fato de que o aquecimento global está fazendo com que os habitats dos animais tem esquentado mais rápido do que eles conseguem se adaptar. E, em uma nova análise, cientistas descobriram que mesmo os animais comuns, que não estão sofrendo risco de extinção, estão sofrendo as consequências das mudanças climáticas no planeta.

A Terra já passou várias vezes pelo processo de aquecimento e resfriamento. Cada ciclo causa a perda de algumas espécies, mas a maioria das mudanças tem ocorrido lentamente e os animais conseguiram se adaptar. Alguns encontraram um novo habitat para chamar de seu, enquanto outras espécies confiavam na mudança genética. E, nesse processo, o surgimento de novas espécies compensava a perda de outras.

Todos em perigo

Com o rápido aumento da temperatura da Terra, no entanto, parece que os animais não estão em uma posição favorável. De acordo com o Dr. Viktoriia Radchuk, do Instituto Leibniz de Pesquisa sobre Zoologia e Vida Selvagem e uma grande equipe de coautores, mesmo os bichos que não foram eliminados por perda de habitat, espécies invasoras ou caça furtiva estão em perigo.

Se o aquecimento global parar, há uma chance de os animais conseguirem recuperar o atraso

Radchuk e sua equipe analisam 10.090 resenhas e 71 artigos completos sobre 4.835 espécies, e os relatos mostram que os animais estão se adaptando à mudança climática, mas raramente rápidos o suficiente para acompanhar com sucesso. A maioria dos estudos revisados foram sobre aves, mas os poucos em outros animais, como um sobre corça, produziram resultados semelhantes.

No geral, o artigo conclui que se o aquecimento global parar, há uma chance de os animais conseguirem recuperar o atraso. Entretanto, se a Terra continuar aquecendo por muito tempo, a mudança pode se tornar fatal para muitas espécies.