Um estudo publicado na revista na revista Meteoritics & Planetary Science indica que a primeira morte humana por um meteorito ocorreu há mais de 130 anos, no antigo território do extinto Império Otomano. Após a análise de registros históricos enviados, em 1888, para o sultão Abdul Hamid II, hoje pertencentes ao Estado da Presidência da República da Turquia, as primeiras comprovações de uma fatalidade após a queda de um objeto espacial podem ganhar novos contornos.

Apesar da escassez de evidências que pudessem comprovar o fato, especialmente as relacionadas ao próprio material da rocha em questão, que caiu em solo terrestre há mais de um século, as três cartas enviadas ao líder imperial sugerem, também, que outro nativo foi atingido pelo meteorito, porém saindo com vida do evento e tendo "ferimentos graves que o deixaram paralisado", segundo palavras dos pesquisadores.

O caso ocorreu em 22 de agosto de 1888 próximo ao atual território da Suleimânia, no Iraque, quando uma grande quantidade de objetos caindo do espaço “como chuva” foram identificados por habitantes de diversos vilarejos próximos. Após isso, uma enorme massa rochosa que emanava um brilho forte, citada como uma "bola incandescente", atingiu um ponto mais alto do local e destruiu um enorme espaço utilizado para plantação.

(Fonte: Science Source/Reprodução)(Fonte: Science Source/Reprodução)

Além das citações sobre o caos observado com a queda do meteorito e sobre as duas vítimas da colisão, uma fatal e outra com ferimentos graves, os pesquisadores também conseguiram traçar uma possível rota da chuva de objetos espaciais, acreditando ter surgindo do sudoeste e alcançando os vilarejos de Gulambar e Serçinar, onde foram encontrados os registros mais claros do material.

“Pelo que sabemos, este evento é o primeiro relato de que um impacto de um meteoro matou uma pessoa, suportado por três manuscritos que o detalham em grandes detalhes. Dado que estes documentos vêm de fontes oficiais e foram escritos por autoridades locais, incluindo o grão-vizir, não suspeitamos de sua autenticidade”, comentaram os pesquisadores.

Apesar da recorrência de colisão de meteoritos com o solo terrestre, já que, segundo dados oficiais da NASA, cerca de 17 meteoros se chocam com a atmosfera da Terra por dia, o que resulta em um número muito maior de meteoritos que alcançam a superfície, não são muitos os casos em que os objetos atingem humanos.