E se você pudesse criar o seu próprio filme de ação: quais elementos não poderiam ficar de fora? Reunimos seis características presentes nos “Blockbusters” americanos que fazem com que uma produção cinematográfica deste gênero seja um grande sucesso.

1 – Explosões

Este provavelmente é o item mais importante — Michael Bay que o diga, não é mesmo? Uma explosão pode salvar um roteiro fraco e ser inserida a qualquer momento, bastando usar a criatividade.

Dica: Um protagonista “badass” nunca olha para uma explosão. Isso é claro desde os Power Rangers.

2 – Bons vilões têm capangas ruins

Se um dia você quiser criar um filme de ação, tem que ficar atento a isso. Capangas com boa pontaria e inteligentes acabam com a emoção da trama, afinal, se eles fossem bem treinados, o mocinho morreria antes dos primeiros 20 minutos.

Em uma história que envolve cenas de luta, insira pelo menos um cara que pareça ser mais forte que o protagonista. Eu disse pareça porque, no final, bem, nós sabemos o que acaba acontecendo.

3 – Um bom herói só deixa sua munição acabar nos momentos mais importantes

Você pode pensar que isso não faria sentido na vida real — e não faria mesmo! —, mas o elemento “falta de munição” traz, mesmo sendo clichê, emoção e tensão em momentos pontuais.

Dica: Crie uma troca de tiros entre vilão e mocinho e, quando eles ficarem cara a cara, faça com que os dois fiquem sem munição.

 4 – Criando o conflito

O grande ídolo de rabo de cavalo Steven Seagal trabalhou em produções recheadas de clichês. Em “Difícil de Matar”, ele protagoniza um policial — novidade! —, e um político manda matar sua família. O personagem entra em coma e, quando acorda, sai em busca de vingança. Esse roteiro faz parte da categoria “não mexe com minha família”, e uma variação dela é o “não sequestre a minha filha”.

Outra boa ideia é fazer algo na linha do “ex-policial”, onde o personagem principal já se aposentou ou foi expulso — sempre injustamente — da força. E é basicamente isso que acontece no filme “O Guardião”, onde Seagal foi traído e acaba sendo forçado a deixar de trabalhar. Como se não fosse o suficiente, ele ainda acaba virando protetor da filha de alguém importante.

5 – Criando o nome

Se você não tem criatividade nem para escolher o nome da sua obra, se inspire em traduções livres dos títulos americanos. Utilize combinações que contenham "implacável", "mortal" ou "explosiva" no final.

6 – A capa do filme

Com os elementos citados acima bem combinados, e inserções que podem ser “inspiradas” em outras produções hollywoodianas, agora falta criar uma boa arte para ser colocada em banners e na capa do DVD. Até em relação a isso, acredite, é possível existir clichês. O grande, e já citado, Steven Seagal prova através das capas dos filmes dele, que elas precisam de apenas três “ingredientes”: cara de mau, pistola em mãos e uma explosão ao fundo.