Se você é mulher, provavelmente vai ter lido o título e pensado: “Ah vá! Sério que fizeram um estudo para comprovar o óbvio?”. Pois é, caras leitoras, às vezes é preciso que a ciência entre em ação para provar para os homens que a divisão igualitária não costuma funcionar tão bem como deveria.

O termo “jornada dupla”, ou “segundo turno”, em referência às mulheres que trabalham o dia inteiro fora de casa e ainda precisam se virar com as tarefas domésticas, começou a se popularizar com estudos da igualdade na divisão das tarefas diárias a partir da década de 1970. Foi só a partir de então que o fato de elas trabalharem fora e ainda aguentarem praticamente sozinhas as tarefas domésticas começou a chamar a atenção de pesquisadores.

Um novo estudo, feito com casais norte-americanos que possuem filhos, mostra que em praticamente metade deles tanto o pai quanto a mãe possuem trabalhos remunerados fora de casa. Porém, ao retornarem ao lar, são elas que trabalham mais: cerca de 18 horas semanais, contra apenas 10 horas dos pais. A pesquisa foi feita em abril deste ano com mais de 1,8 mil casais com filhos menores de 18 anos nos EUA. Ela foi encabeçada pelo Pew Research Center, especializado em estudos comportamentais, sociais e demográficos.

Quantidade de trabalho doméstico praticamente dobrou entre os homens, mas ainda é bastante desigual, aponta estudo

Tarefas mais pesadas ainda são elas que fazem

E reparem bem em um detalhe do estudo: ele se refere aos “pais”, e não necessariamente aos homens. Isso porque, de acordo com a pesquisa, enquanto o casal não possui filhos, a divisão costuma, sim, ser mais equilibrada. Porém, com a chegada das crianças, a rotina muda.

E não pense que eles ficam com o trabalho mais pesado nas suas 10 horas semanais: de acordo com os pesquisadores, eles incluem na contagem algumas tarefas “árduas”, como supervisionar o tempo de banho das crianças ou passar alguns minutos do seu dia brincando com elas. Às mulheres, sobra todo o trabalho pesado de manutenção diária de uma residência.

Apesar dos pesares, o estudo também mostra outro lado desse comportamento: desde os anos 1970, quando ele começou a ser feito, os homens estão se comprometendo mais com as tarefas domésticas e passando mais tempo com os filhos, ainda que a divisão não seja justa como deveria. Porém, isso os tem levado a pensar que eles estão “fazendo sua parte”.

Pais estão passando mais tempo com os filhos, mas ainda deixam o trabalho pesado para as esposas

Impactos do estudo

Não é preciso ser nenhum gênio para adivinhar algumas das conclusões que esses números mostram: algumas mães estão se sentindo mais sobrecarregadas, e isso prejudica sua saúde, deixando-as mais estressadas e menos propensas a assumirem outras funções em seus trabalhos remunerados, o que afeta possíveis promoções. Afinal, está tudo interligado.

Outro dado mostra que os filhos homens de mulheres que trabalham fora de casa são mais propensos a dividir igualmente as tarefas com a sua esposa. Já as filhas dessas mulheres possuem uma probabilidade maior de ganhar mais dinheiro em seus trabalhos e, eventualmente, de assumir cargos de chefia. Por outro lado, os filhos homens de mulheres donas de casa fazem menos trabalho doméstico quando se tornam adultos – mesmo quando estão desempregados e suas mulheres possuem trabalho remunerado fora de casa.

Essa pesquisa pode ser complementada por outro estudo, que já mostramos aqui no Mega Curioso, realizado na Alemanha: ele mostra que os casais que dividem igualitariamente a rotina de trabalhos domésticos também são aqueles com a vida sexual mais ativa. Agora fica uma dúvida: como ambas as pesquisas foram feitas fora do Brasil, quais seriam os resultados se os pesquisadores olhassem para a divisão dessas tarefas aqui em nosso país? Você consegue imaginar?

Mulheres ainda se dividem mais entre trabalho remunerado e rotinas domésticas

*Publicado em 30/11/2015