A redatora Yasmin Tayag, do site Inverse, passou por uma situação bem desagradável recentemente: sem querer, ela acabou inalando um inseto! Desesperada para saber onde o bichinho iria parar, ela entrou em contato com otorrinolaringologistas para sabe qual o caminho que o animal iria seguir.

De acordo com o médico Richard Lebowitz, o mais provável é que os insetos caiam diretamente em nosso estômago e não sobrevivam aos efeitos do suco gástricos. Assim, não é algo que deve tirar o sono de ninguém, afinal, acidentes desse tipo acontecem aos montes e o corpo é preparado para não fazer nenhum objeto estranho seguir um rumo desconhecido dentro do nosso corpo.

Já a doutora Jennifer Villwock foi ainda mais apaziguadora: os insetos dificilmente passam dos pelinhos nasais, que servem como um primeiro escudo contra qualquer tipo de impureza, como poeiras e outras partículas. Eventualmente, o objeto estranho – no caso, um inseto – vai acabar saindo pelo mesmo buraco que entrou, naturalmente ou através de um espirro.

A maioria dos corpos estranhos alojados no nariz sai através de espirros

Entretanto, os dois especialistas admitem a possibilidade de o inseto seguir pelo caminho errado e cair nos pulmões, mas as chances de isso acontecer são mínimas. A epiglote serve como uma tampinha que evita que alimentos (ou saliva) entrem na traqueia. Normalmente, ela age por reflexo, mas pode acontecer de você se engasgar, e o objeto estranho seguir pelo caminho errado. Nesses casos, fique preparado para um belo ataque de tosse.

Caso você passe por uma situação semelhante à de Yasmin, pode ficar mais tranquilo. Se o inseto seguir por um caminho estranho, o seu corpo vai te avisar na hora. De resto, é mais o trauma psicológico de saber que existe um bichinho dentro de você.