Na década de 50, muito antes dos status do MSN e dos 140 caracteres de um tweet, as frases de impacto vinham dos caminhões que rodavam as estradas brasileiras. Parte indiscutível do folclore nacional, por muito tempo as frases de para-choques foram destaque nas viagens e ganharam espaço em revistas especializadas em automóveis, como a Quatro Rodas.

O costume surgiu na Argentina, ainda no fim do século 19, quando os “hermanos” estilizavam suas carroças. Hoje, a tradição vem perdendo espaço, com as frotas terceirizadas e alguns clientes que não contratam caminhões com letreiros.

Como a revista Quatro Rodas descrevia na seção dedicada ao assunto: “Motorista de caminhão tem senso de humor, ironia, espírito à beça, simples, sem acrobacias cerebrais e, por isso mesmo, imediato e eficaz.”

  • Nasci sem dente e vivo na banguela; 
  • Do jeito que vão as coisas, nem as matas são virgens;
  • Viúva é como lenha verde: chora, mas pega fogo;
  • Minissaia é como prestação: quanto mais curta, melhor;
  • No decote do horizonte vejo os seios da saudade; 

  • Nunca beije no portão: o amor é cego, mas o vizinho, não;
  • Ganha-se pouco, mas é divertido;
  • Se casamento fosse bom, não precisaria de testemunhas;
  • Quando homem valer dinheiro, baixinho serve de troco;

  • Se você é capaz de sorrir quando tudo dá errado, é porque já sabe em quem colocar a culpa;
  • Hoje encontrei chorando quem no passado riu de mim;
  • Antes eu sonhava, hoje eu não durmo;
  • Seja paciente na estrada para não ser paciente no hospital;

  • Sogra não é parente, é castigo;
  • Feliz foi Adão, que não teve sogra nem caminhão;
  • Não mando minha sogra pro inferno porque tenho dó do diabo;
  • Duas coisas matam de repente: vento pelas costas e a sogra pela frente;
  • Aqui jaz a minha sogra: descanso em paz!

  • No baralho da vida fiquei por uma dama; 
  • O maior peso deste mundo é uma mulher leviana;
  • Você com tanta curva e eu no meio sem freio;
  • Mulher é como estrada: sendo boa é perigosa; 

  • Se seio fosse buzina, motorista não dormia de noite;
  • Mamãe reza por uma nora;
  • O amor virou cinza porque mandei brasa; 
  • A riqueza de um pobre é a lealdade de uma mulher sincera; 
  • Nas curvas do teu corpo tombei meu coração;

*Publicado em 21/8/2015