Você sabia que, assim como existem rankings de países mais e menos seguros, com o maior número de feriados anuais e com a maior quantidade de armas, também existe um ranking que classifica as nações de acordo com sua — boa ou má — reputação?

De acordo com Alex Lockie do portal Business Insider, o ranking foi elaborado pelo Reputation Institute e, segundo explicou, ele mede a reputação dos 55 países com os maiores PIBs do mundo. O levantamento de 2015 foi divulgado recentemente, contando com a participação de 48 mil representantes de países que formam (ou formavam) o G8 — ou seja, canadenses, franceses, alemães, italianos, russos, japoneses, britânicos e norte-americanos.

Segundo Lockie, os países participantes foram avaliados em 16 atributos diferentes — que incluem aspectos políticos, econômicos e ambientais, como a beleza das paisagens naturais, se os habitantes são hospitaleiros, segurança, se o governo é progressivo ou opressivo etc. A seguir você poderá conferir quais são os 20 países com as melhores reputações de 2015:

Como você viu, o grande vencedor foi o Canadá, seguido pela Noruega, Suécia, Suíça e Austrália. A Finlândia ficou em sexto lugar, seguida da Nova Zelândia, Dinamarca, dos Países Baixos e da Bélgica. Depois, vieram a Irlanda, a Áustria, o Reino Unido, a Itália e a Alemanha, e o ranking dos 20 termina com o Japão, Espanha, Portugal, França e Cingapura.

Além disso, oito dos dez primeiros colocados se encontram ao norte do hemisfério norte, sete deles são ou já foram militarmente neutros e cinco fazem parte da OTAN. Os Estados Unidos — que costumam se sair bem nesses tipos de rankings — ficaram em 22º lugar na classificação, e o Brasil apareceu em 26º, sendo seguido pelo Peru, Grécia, Argentina e o Chile. Você pode ver o ranking completo logo abaixo:

De acordo com Lockie, o levantamento também revelou interessantes diferenças com respeito ao que foi realizado no ano passado. Entre os países que apresentaram as melhores “recuperações” de reputação estão o Irã, a China e a Índia, que tiveram índices de aumento de 10,8%, 7,9% e 7,4%, respectivamente.

Por outro lado, o Brasil está entre os cinco países que perderam mais pontos no ano passado (- 2,4%), juntamente com a Ucrânia (- 2,8%), África do Sul (- 3,2%), Rússia (- 3,2%) e o Qatar (- 7,4%).

O declínio do Qatar provavelmente é decorrente de seu envolvimento com os escândalos da FIFA — de corrupção e violação de direitos humanos —, enquanto  a queda da Ucrânia e da Rússia certamente se deve aos conflitos armados com os quais ambos os países estão envolvidos. No caso do Brasil, vamos deixar que você divague sobre o possível motivo nos comentários!