O projeto americano Little Free Library surgiu em 2009, com caixinhas de madeira espalhadas pelas ruas para que as pessoas troquem livros já lidos por outros de forma gratuita e colaborativa. Em meio à pandemia de coronavírus, os americanos estão usando estas caixinhas para deixar mantimentos e papel higiênico para pessoas que não podem comprá-los, mantendo as regras de distanciamento social.

Fonte: Twitter/Ashley HamerFonte: Twitter/Ashley Hamer

Normalmente, as pequenas despensas gratuitas ficam do lado de fora de igrejas ou empresas. Suas estruturas são feitas com madeira e portas de vidro para que as pessoas possam ver o que está dentro. Algumas pessoas retiraram os livros de suas bibliotecas para abrir espaço para estocar enlatados, macarrão, papel higiênico e outros mantimentos. Os membros da comunidade são incentivados a manter as despensas com estoque, preferencialmente não perecíveis.

A própria comunidade incentiva seus membros a realizarem doações

Nas despensas improvisadas pela comunidade constam pequenas anotações manuscritas que incentivam as pessoas a pagarem o que precisam. Dentre as mensagens estão "pegue o que você precisa, compartilhe o que puder" e outras adaptações semelhantes do lema da Little Free Library: "leve um livro, deixe um livro".

Uma pequena biblioteca tinha uma placa dizendo “para ajudar nossos vizinhos afetados pela crise da o covid-19, esta Little Free Library foi convertida em uma "Pequena Despensa Livre", tornando esta iniciativa viral nas redes sociais.

Fonte: Twitter/CaffeinatedFonte: Twitter/Caffeinated

O Literary Hub explicou em seu site que doar para uma Little Free Library que virou despensa é uma ótima forma de ajudar vizinhos que não podem ir ao mercado ou que se sentem ansiosos ao verem os seus baixos estoques de mantimentos. E que esta iniciativa também pode ajudar a combater sentimentos de impotência ou solidão devido ao auto-isolamento, ao promover um senso de comunidade mesmo sem nenhum contato físico.

Greig Metzger, diretor executivo da organização Little Free Library que foi diretor executivo de uma prateleira de alimentos em Minneapolis antes de ingressar na instituição, também sugeriu que as pessoas utilizem suas bibliotecas como pontos de coleta de doações de alimentos para instituições de caridade próximas.