Quais são as coisas que vêm à sua mente quando você pensa em figuras como Isaac Newton ou Mao Tsé-Tung? Pois não pense que esses dois personagens unicamente exerceram as atividades que fizeram com que seus nomes ficassem gravados na História. Na verdade, além de seus legados revolucionários — seja na Ciência ou na Política, respectivamente —, existem alguns aspectos sobre suas vidas que são bem menos conhecidos do que seus grandes feitos.

Aliás, de acordo com Cedric Voets do site Cracked, Newton e Mao não estão sozinhos nessa, já que também existem aspectos pouco conhecidos — e surpreendentes — sobre as vidas de outras figuras históricas. Confira a seguir:

1 – Abraham Lincoln

Além de ter sido um dos mais ilustres presidentes dos EUA — liderando o país com sucesso durante a Guerra Civil Americana e abolindo a escravidão —, Abraham Lincoln também foi sócio de um “boteco” na cidadezinha de New Salem, em Illinois. Chamado Berry and Lincoln, o local servia cerveja, cidra, gin, vinho, rum, vários tipos de conhaque e whisky, assim como café da manhã, almoço e jantar, e também oferecia hospedagem.

O negócio começou a desandar depois que Berry — o sócio de Lincoln — se tornou alcoólatra, algo que não é nada bom para alguém que ganha a vida servindo bebidas. Assim, quem passava a maior parte do tempo lidando com a clientela era Lincoln, e não demorou até que a dupla ficasse endividada.

Eventualmente, Lincoln acabou vendendo sua parte da sociedade para Berry, mas como o ex sócio acabou morrendo, Abraham assumiu todas as dívidas e levou quase 15 anos para conseguir saldá-la. Mais tarde, quando ingressou na carreira política, Lincoln negava que havia se dedicado a vender bebidas alcóolicas no passado.

2 – Fidel Castro

Você consegue imaginar Fidel Castro — principal líder da Revolução Cubana e ditador de Cuba desde 1959 — como uma espécie de blogger esportivo? Aliás, antes de assumir de vez a carreira de “revolucionário comunista”, Fidel foi um jogador de baseball com um futuro promissor, mas acabou abandonando tudo por conta da política.

No entanto, o cubano jamais deixou de amar os esportes e, além de banir qualquer atividade esportiva profissional em Cuba, ao longo de quase cinco décadas no comando da ilha, ele manteve uma espécie de diário — na falta de internet, pois, do contrário, certeza que seria um blog! — no qual descrevia seus devaneios sobre o mundo esportivo. O conteúdo (politicamente tendencioso, obviamente) que Fidel produziu inclusive foi reunido e publicado na forma de livro.

3 – Mao Tsé-Tung

Sabe Mao Tsé-Tung, o líder da Revolução Chinesa e fundador da República Popular da China? Se pararmos para pensar na trajetória do homem, é de se imaginar que ele teve uma infância e juventude muito sofridas, além de ter sido obrigado a trabalhar muito duro para chegar aonde chegou, não é mesmo? Bem, mais ou menos...

Na verdade, apesar de os pais de Mao serem de origem humilde, sua família tinha acumulado uma pequena fortuna quando ele nasceu — e o jovem revolucionário, assim como ocorre com muitos filhos de papais ricos, passou bela parte da vida basicamente vagabundeando. Quando chegou à adolescência, Mao convenceu seu pai a enviá-lo a uma prestigiosa escola preparatória, onde fundou um grupo de jovens rebeldes.

Depois, aos 18 anos, enquanto ainda estava nessa fase de rebeldia, Mao decidiu se alistar ao Exército Revolucionário — e lá ficou até descobrir que teria que trabalhar. Mais tarde, o chinês voltou a estudar, abandonou os estudos para ingressar na academia de polícia, e largou tudo de novo para trabalhar em uma fábrica de sabão. Como isso também não deu certo, Mao decidiu fazer faculdade de Administração, mas, para variar, não concluiu o curso.

Eventualmente, Mao conseguiu terminar os estudos e se tornou professor. No entanto, apesar de ele realmente ter passado algum tempo no exército e ser relativamente ativo politicamente entre os círculos esquerdistas, vai dizer que o passado dele não se parece com o de um “filhinho de papai” qualquer? Aliás, não é surpreendente que justamente um filhinho de papai tenha liderado a revolução cultural na China?

4 – Isaac Newton

Pois além de ter sido um dos gênios mais influentes da História — com a sua Lei da Gravitação Universal, as Leis de Newton e sua obra Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, entre outras contribuições científicas —, depois de abandonar sua carreira acadêmica aos 53 anos, Isaac Newton resolveu se tornar “caçador” de bandidos em Londres.

Tudo começou depois de Sir Newton começar a trabalhar em Londres para o “The Mint”, que era onde funcionava como a Casa da Moeda da Coroa Britânica. Acontece que o cientista logo descobriu que existiam muitos falsificadores atuando na região e, além de desenvolver meios de tornar a falsificação mais difícil, ele resolveu sair no encalço dos criminosos.

Para isso, Newton cultivou uma vasta rede de informantes, e no período de apenas quatro anos, capturou e foi o responsável pela execução — isso mesmo, uma das mentes mais brilhantes de todos os tempos mandou vários bandidos para a forca! — um total de 27 falsificadores.