Já trouxemos para vocês aqui no Mega Curioso várias matérias sinistras sobre serial killers, incluindo uma sobre os mais famosos do mundo, outra sobre assassinos violentos que foram capturados recentemente e até mesmo casos de mulheres pra lá de diabólicas. E, para continuar saciando a sua curiosidade por histórias policiais, conheça a seguir quatro criminosos bizarros e os assustadores crimes que eles cometeram:

1 – Souflikar

Fonte da imagem: Reprodução/LLC Landscape Design and Construction

Nacionalidade: turca

Número de vítimas: mais de 5 mil

Arma: as próprias mãos

Não, você não leu errado o número de vítimas que caíram pelas mãos de Souflikar. Ele foi o carrasco oficial do sultão Mehmed IV durante o Império Otomano e responsável por executar uma média três pessoas por dia em um período de cinco anos. E o homem não tinha frescura na hora de trabalhar não, dispensando ferramentas comuns em sua atividade — como espadas, machados e forcas. Souflikar estrangulava os condenados com as próprias mãos!

Contudo, não podemos dizer que Souflikar fosse um carrasco injusto, pois ele sempre propunha um trato a suas vítimas: ambos tinham que apostar uma corrida através dos jardins reais até o local das execuções e, se o condenado perdesse...

O problema — para os pobres coitados — é que, além de ter mãos fortes, Souflikar aparentemente era um verdadeiro velocista, pois nunca chegava por último.

2 – Johann Unterweger

Fonte da imagem: Reprodução/Bio True Story

Nacionalidade: austríaca

Número de vítimas: entre 10 e 15

Arma: sutiãs

Embora Unterweger, o serial killer da foto, fosse figurinha carimbada nas cadeias por cometer crimes pequenos, em meados da década de 70 ele foi condenado à prisão perpétua por estrangular prostitutas com seus sutiãs. No entanto, depois de preso, o assassino começou a escrever e, surpreendentemente, seu incrível talento chamou a atenção da elite literária da Áustria, que iniciou uma extensa campanha pela libertação de Unterweger.

A campanha deu certo, e o estrangulador não só saiu da prisão, como começou a trabalhar como apresentador de TV e a participar de debates sobre a reabilitação de detentos. Mas sabe como são os velhos costumes... Unterweger estrangulou seis mulheres durante seu primeiro ano em liberdade na Áustria e, antes de ser descoberto, viajou a Los Angeles, onde matou outras três prostitutas.

Desta vez seus fãs literários não puderam ajudar, e o assassino foi capturado pelas autoridades norte-americanas, extraditado e novamente condenado. Depois de voltar para a prisão, Unterweger cometeu suicídio, mas não por sentir culpa pelas pobres mulheres que matou! Aparentemente, ele teve um bloqueio criativo e se enforcou em sua cela.

3 – Rodney Alcala

Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail

Nacionalidade: norte-americana

Número de vítimas: provavelmente 130

Arma: lábia

O malucão da imagem acima foi condenado pelo assassinato de cinco mulheres e se encontra atualmente no corredor da morte aguardando sua execução. Contudo, depois de preso, ele admitiu ter matado outras trinta jovens, e as autoridades norte-americanas acreditam que ele seja o responsável por um total de 130 mortes. Os crimes ocorreram na década de 70, e Alcala — o assassino — usava a desculpa de que era fotógrafo para atrair as vítimas.

No entanto, o mais curioso e bizarro sobre o caso é que, enquanto praticava ativamente seus crimes, Alcala participou (e venceu!) de um programa de encontros semelhante ao quadro “Vai Dar Namoro”, apresentado no “O Melhor do Brasil”. Por sorte, a moça que escolheu — a dedo — esse maluco achou o pretendente meio estranho ao final do concurso e desistiu de sair com ele.

4 – Robert Hansen

Fonte da imagem: Reprodução/Butcher, Baker

Nacionalidade: norte-americana

Número de vítimas: entre 17 e 21

Arma: rifles de caça

Conhecido como exemplo de pai e excelente padeiro, Robert Hansen — ou simplesmente Bob — passou a ser considerado como o maior serial killer do Alasca depois de ser condenado por sequestrar, violentar e assassinar um número estimado entre 17 e 21 mulheres. Hansen era um caçador voraz, mas em algum momento ao longo de sua carreira se cansou de caçar apenas animais e passou a praticar uma espécie de safari humano com prostitutas e strippers.

Bob capturava suas vítimas, as levava de avião até uma cabana que possuía em uma área remota e as mantinha como escravas durante vários dias. Quando se cansava, soltava as mulheres nuas na floresta — algumas vezes com os olhos vendados — e as caçava como animais enquanto tentavam fugir desesperadas. O caçador foi preso depois que uma das mulheres conseguiu escapar e avisou a polícia e foi condenado a 461 anos de prisão.

*Publicado originalmente em 23/10/2013.