1 – Castelo de Ashford

Localização: Condado de Mayo, na Irlanda

(Fonte: Bem Ireland)

O belo castelo da imagem acima foi construído pela Casa de Burgos — uma importante família anglo-normanda — em 1228, em um local que, originalmente, pertencia a um mosteiro. Séculos mais tarde, em 1852, a edificação foi reconstruída e ampliada por Benjamin Guinness (da cervejaria Guinness), convertida em um hotel em 1939 e vendida em 1945. Atualmente, o Castelo de Ashford está entre os hotéis 5 estrelas mais luxuosos do mundo.

2 – Castelo de Talabgaon

Localização: Rajastão, na Índia

(Fonte: Talabgaon Castle)

O Castelo de Talabgaon foi construído em 1818 e, originalmente, serviu de fortaleza durante uma batalha entre dois estados indianos pelo controle do lago Sambhur e dos depósitos de sal que existiam por lá. No início do século 20, a estrutura foi convertida em castelo por Thakur Vijay Singh ji Rathore e, mais tarde, em hotel. A Família Singh Rathore ainda é proprietária do local.

3 – Chateau Aubepine

Localização: Fourneaux, na França

(Fonte: UGuest)

Considerado como monumento histórico na França, o belíssimo Chateau Aubepine foi construído em 1621 e está rodeado por jardins criados por Le Nôtre, jardineiro do Rei Luís XIV. O chateau se encontra em uma área privada com cerca de 100 hectares e, atualmente, a estrutura — equipada com quadras de tênis, piscina e um lago para pescaria — foi convertida em um confortável hotel.

4 – Castel Pergine

Localização: Trentino, na Itália

(Fonte: Tr3ntino)

O incrível castelo que você acabou de ver na imagem acima foi construído por volta do século 11 e transformado em fortaleza medieval cerca de 200 anos depois. A estrutura pertenceu a nobres austríacos por algum tempo, até que, em 1531, passou para as mãos do príncipe-bispo de Trento. No início do século 20, o Castel Pergine recebeu uma série de reformas e foi convertido em um luxuoso hotel.

5 – Castelo de Oropesa

Localização: Oropesa, na Espanha

(Fonte: Traveler)

O Castelo de Oropesa data dos séculos 12 e 13 e provavelmente foi construído pelos árabes sobre uma edificação romana — no período em que eles dominaram a Espanha. Ele foi restaurado em 1402 após ser quase completamente destruído durante a Reconquista Cristã e, um século depois, se tornou uma das principais bases da rebelião que se armou contra o Rei Carlos V, uma das maiores revoltas da história espanhola.

O local pertenceu à Casa de Toledo durante vários séculos e atualmente foi convertido em “Parador” — ou seja, o Castelo de Oropesa foi transformado em hotel pelo governo espanhol de forma que a verba levantada seja empregada na manutenção e em trabalhos de restauração da estrutura.

6 – Castelo de Óbidos

Localização: Óbidos, em Portugal

(Fonte: Wikimedia Commons)

A cidade de Óbidos, localizada perto do litoral português, foi “doada” no século 13 pelo Rei D. Dinis à sua prometida, a Rainha Isabel de Aragão, como presente de casamento e, a partir de então, se tornou um refúgio e local de veraneio para a monarquia portuguesa. No entanto, os primeiros registros históricos sobre a edificação datam do século 12, e, ao longo da História, a estrutura passou por diversas reformas e reconstruções.

O Castelo de Óbidos foi classificado como Monumento Nacional de Portugal em 1910 e atualmente abriga em seu interior a Pousada do Castelo, um luxuoso hotel — com suítes batizadas com os nomes dos reis e das rainhas que se hospedaram lá no decorrer dos séculos.

7 – Castelo de Hever

Localização: Condado de Kent, na Inglaterra

(Fonte: Castle Explorer)

O pitoresco castelo acima, situado no vilarejo de Hever, na Inglaterra, serviu de lar para a família de Ana Bolena, a polêmica segunda esposa do Rei Henrique VIII — que perdeu a cabeça no século 16 depois de ser acusada de traição, adultério e incesto. Ela era a mãe da icônica Rainha Elizabeth I.

Após a morte do pai de Ana Bolena, Henrique VIII tomou o Castelo de Hever da família e o doou à Ana de Cleves, sua quarta esposa. Depois disso, a edificação passou por várias mãos até que, finalmente, no início do século 20, foi adquirida pelo magnata norte-americano William Waldorf Astor, que restaurou a estrutura. Hoje o local funciona como hotel e recebe visitantes de todo o mundo.