Você já ouviu falar a respeito de Ötzi, o Homem do Gelo? Ele é uma múmia que foi descoberta semicongelada há cerca de 25 anos nos Alpes, mais precisamente, em uma geleira situada em uma região entre a Áustria e a Itália. Seu corpo foi encontrado por um casal de turistas alemães que, em um primeiro momento, pensaram que se tratava de um cadáver moderno, possivelmente de alguém que tivesse se perdido e morrido de frio.

Local onde a múmia foi encontrada

No entanto, análises posteriores apontaram que o corpo pertencia a um homem que viveu há cerca de 5,3 mil anos, ou seja, em plena Idade do Cobre. Além disso, por conta do surpreendente bom estado de preservação do cadáver, Ötzi se tornou a múmia mais escrutinizada, analisada e estudada do planeta.

Ötzi, o homem do gelo

Ao longo dos anos — e de muito vira e revira na pobre múmia —, os cientistas descobriram, por exemplo, que Ötzi tinha olhos castanhos, pesava 50 quilos e media por volta de 1,5 metro de altura. Ademais, análises revelaram que o Homem do Gelo era intolerante à lactose, sofria de aterosclerose e não tinha um sorriso muito saudável não, já que os pesquisadores identificaram diversas cáries e outros problemas dentais.

Ötzi, uma das múmias mais bem estudadas do mundo

Os cientistas ainda notaram que Ötzi devia sofrer bastante com o estômago, já que ele havia sido infectado pela bactéria Helicobacter pylori, responsável por desencadear problemas de saúde como gastrite, úlcera e até o desenvolvimento de cânceres. Além disso, exames de DNA apontaram que o Homem do Gelo pertencia ao haplogrupo K europeu, uma antiga linhagem de humanos, e que ele provavelmente era infértil. E acredite: até a voz dele foi recriada! Ouça:

Por fim, mais avaliações conduzidas na múmia apontaram que Ötzi tinha várias tatuagens pelo corpo e que ele tinha 45 anos de idade quando morreu. Aliás, o cadáver do Homem do Gelo também mostrava evidências de que ele havia sofrido uma morte um tanto quanto trágica.

Possível aparência do Homem do Gelo

Mais precisamente, os cientistas suspeitavam que Ötzi possivelmente foi assassinado, já que ele perdeu a vida por conta de uma flechada nas costas e devido a um forte trauma na cabeça. Entretanto, apesar de todas as coisas que foram descobertas sobre o Homem do Gelo, as circunstâncias de seu falecimento eram um completo mistério.

CSI da pré-história

Agora, de acordo com Rossela Lorenzi, do portal Seeker, os cientistas estão mais próximos de desvendar o que aconteceu com o Homem do Gelo. Isso porque o pessoal do Museu de Arqueologia do Tirol do Sul, situado em Bolzano, na Itália, onde a múmia fica exposta, decidiu pedir a ajuda de Alexander Horn, inspetor-chefe do Departamento de Investigação Criminal em Munique, na Alemanha, para tentar descobrir o que provocou a morte de Ötzi.

Detalhe de uma das muitas tatuagens encontradas no corpo de Ötzi

Segundo Rossela, Horn se baseou na análise comportamental para fazer a sua investigação e começou através de um exame minucioso da “cena do crime” encontrada pelos turistas alemães que descobriram a múmia, isso em 1991. O corpo de Ötzi estava de bruços, com o peito apoiado em uma rocha achatada, e somente a parte posterior de sua cabeça, os ombros e parte das costas estavam expostos. O restante continuava coberto de gelo. Veja:

Ötzi quando foi descoberto pelos turistas alemães

Mas, além do corpo, diversos objetos foram encontrados com Ötzi, como as peças de roupa que ele estava vestindo quando morreu, assim como uma faca de sílex — um tipo de rocha de quartzo —, um machadinho com lâmina de cobre, uma aljava cheia de flechas e um arco longo que ainda não havia sido terminado. Na verdade, segundo Horn, ele tinha mais elementos com os quais trabalhar do que os que ele muitas vezes encontra em cenas do crime atuais!

Análise de um crime

De acordo com a análise de Horn, Ötzi aparentemente não se sentia ameaçado antes de ser atacado, já que tudo indica que ele estava descansando em vez de estar fugindo de alguém. Afinal, ele colocou suas coisas no chão para fazer uma refeição — exames anteriores apontam que o Homem do Gelo consumiu carne de cabra selvagem entre 30 minutos e 2 horas antes de morrer —, e uma pessoa em fuga não para assim, para curtir uma bela comida.

A múmia

Ötzi também contava com um ferimento na mão direita, sofrido alguns dias antes de ele ser atacado — e o investigador concluiu que o machucado teria sido resultado de uma ação defensiva durante uma briga ou algo parecido. Contudo, como ele não trazia mais ferimentos, é bastante provável que Ötzi tenha saído vencedor desse encontro.

Aliás, esse percalço hostil poderia explicar o ataque surpresa que o Homem do Gelo sofreu alguns dias depois. É possível que o oponente tenha alimentado a sua ira após ser derrotado e decidiu se vingar. De acordo com a análise de Horn, a flecha que atingiu Ötzi parece ter sido lançada a partir de uma distância considerável — e pode ser considerado como um ataque covarde, na realidade.

Coitado do Ötzi...

Outra pista que apoia a teoria da vingança por meio de um ataque surpresa — em vez de um assalto, por exemplo — é o fato de todos os objetos pessoais de Ötzi, incluindo seu valioso machado de cobre, terem sido deixados para trás. Portanto, de acordo com Horn, todas as evidências apontam que o Homem do Gelo foi vítima de um conflito pessoal que escalou até terminar com seu assassinato, tal como ainda acontece hoje em dia.