Toda fotografia conta uma história, certo? Uma que talvez não seja evidente para quem vê a imagem pela primeira vez, mas certamente sim para quem registrou aquele momento no tempo. Pois as fotos que você vai ver a seguir, reunidas pelo pessoal do site Boredom Therapy, embora pareçam completamente ordinárias, estão relacionadas com acontecimentos trágicos. Confira:

1 – Kris Kremers e Lisanne Froon

A foto a seguir mostra duas moças que parecem superfelizes, né? Elas se chamavam Kris Kremers e Lisanne Froon, eram holandesas, ambas tinham 22 anos e desaparecem enquanto faziam uma trilha de apenas cinco quilômetros no Panamá no dia 1º de abril de 2014. Cerca de 10 semanas após as jovens sumirem, uma mulher Ngöbe — membro de um grupo indígena panamenho — encontrou a mochila de Lisanne (visível na imagem) e contatou as autoridades.

Ninguém sabe o que realmente aconteceu com as moças

No interior da peça, os investigadores encontraram os celulares das moças e descobriram que elas haviam tentado fazer contato com as autoridades panamenhas e holandesas várias vezes, mas, como se encontravam em uma área remota, a recepção não era muito boa.

Os policiais descobriram que a bateria do aparelho de Lisanne acabou no dia 5 de abril, enquanto telefone de Kris foi desligado no dia 11 — e desde que a mochila das jovens apareceu, mais de 30 ossos, incluindo o da pelve e de um pé, foram achados. Várias teorias surgiram para explicar o que aconteceu com as moças, mas o caso continua sem solução.

2 – Travis Alexander

A foto que você pode ver abaixo mostra um rapaz chamado Travis Alexander e foi clicada por sua namorada, Jodi Ann Arias, em junho de 2008, enquanto ele tomava banho. Mas, ao contrário do que você possa estar imaginando, o que aconteceu minutos depois não foi um momento de intimidade entre os dois...

Fim dramático

Após registrar a imagem, a moça esfaqueou Travis 29 vezes, cortou sua garganta e, para garantir que o rapaz realmente não sobreviveria ao ataque, disparou um tiro contra sua cabeça. Jodi foi condenada à prisão perpétua por assassinato em 2014.

3 – Gabe e Tina Watson

Na imagem a seguir, note que um dos três mergulhadores aparece “deitado” no fundo do mar. Esse mergulhador era Tina Watson, esposa de Gabe, e a foto foi registrada em outubro de 2003, enquanto os dois se encontravam em lua de mel em Queensland, na Austrália. No entanto, a cena também mostra um terceiro indivíduo, nadando em direção a Tina — em vão, já que ela foi declarada morta pouco tempo depois.

Ao investigar a morte — aparentemente — acidental de Tina, as autoridades descobriram que pouco antes de se casar, Gabe havia pedido que ela aumentasse sua apólice de seguro de vida e fizesse dele seu único beneficiário. Os responsáveis pelo caso acreditam que o que aconteceu durante o mergulho foi que Gabe cortou o suprimento de ar de Tina e a abraçou para impedir que ela subisse à superfície para respirar — até que ela acabou morrendo afogada.

4 – Eric Harris e Dylan Klebold

Os nomes acima soam familiares para você? Pois Eric Harris e Dylan Klebold, caso você não se recorde, foram os garotos responsáveis pelo Massacre de Columbine, quando, em abril de 1999, os dois invadiram a escola onde estudavam e abriram fogo contra alunos e professores. Eric e Dylan tinham 18 e 17 anos de idade, respectivamente, e mataram 12 colegas e um professor — e depois cometeram suicídio.

A foto acima mostra os alunos de Columbine no ano de 1999, e foi clicada pouco antes do massacre. Aliás, se você olhar com mais cuidado, na parte superior esquerda da imagem é possível ver Eric e Dylan simulando com as mãos disparos com armas de fogo para a câmera.

5 – Sobreviventes

A primeira vista, não há nada de incomum ou trágico na imagem que você pode ver a seguir, certo? Ela mostra um turista espanhol posando para a foto com uma criança nos ombros no centro da cidadezinha irlandesa de Omagh, no dia 15 de agosto de 1998, e tudo parece completamente normal. Veja:

No entanto, momentos depois de a cena acima ser clicada, o carro vermelho que se encontra estacionado a pouca distância do homem explodiu, provocando a morte de 29 pessoas — incluindo a do sujeito que registrou o retrato — e deixando cerca de 220 feridos.

A explosão ocorreu durante um atentado terrorista arquitetado pelo IRA Autêntico — Real Irish Republican Army ou Exército Republicano Irlandês Autêntico — que acabou entrando para a história como o mais brutal e sangrento durante os conflitos que ocorreram na Irlanda do Norte. Milagrosamente, o turista espanhol e a criança da foto sobreviveram.