O aquecimento global prejudica nosso planeta de maneiras que vão além do que podemos imaginar. Cientistas afirmaram, recentemente, que os ursos polares estão na mira do superaquecimento ocasionado pelas mudanças climáticas. E se você acha que esses animais correm risco apenas por conta do degelo das regiões polares, saiba que o problema é ainda maior do que isso.

Pesquisadores acreditam que poluentes químicos podem causar a redução da densidade dos pênis dos ursos polares. Pois é. Por mais bizarra que essa relação pareça, a verdade é que esses animais podem chegar ao ponto de simplesmente não conseguirem mais acasalar.

As primeiras conclusões a respeito do assunto foram documentadas por cientistas da Universidade Aarhus, da Dinamarca. De acordo com as pesquisas realizadas na instituição, os ossos da região peniana dos ursos polares podem começar a sumir com o tempo, devido à presença de poluentes em seus corpos. Esse fenômeno bizarro pode afetar outros animais, além dos ursos polares.

Ameaça

A preocupação é maior ainda com relação aos ursos porque esses animais já podem vir a apresentar dificuldades de caça por causa da diminuição da quantidade de gelo em seus habitats. Ou seja: são pelo menos dois graves fatores de risco.

De acordo com a pesquisadora Margaret James, da Universidade da Flórida, os poluentes chegam até os ursos polares porque são enviados à atmosfera terrestre e depois retornam ao planeta, indo em direção aos ares polares.

É por isso que animais em regiões de extremo frio sofrem mais com as consequências do aquecimento global. O perigo é tanto que a estimativa é de que 25% dos ursos polares só do Canadá venham a morrer em consequência das mudanças climáticas, provocadas, muitas vezes, pelo uso de produtos e substâncias extremamente poluentes.