Infelizmente, nós vivemos em uma realidade violenta, e basta assistir aos telediários ou dar uma olhadinha nas páginas policiais dos jornais para encontrar notícias sobre guerras entre grupos criminosos rivais. Mas não pense você que é só aqui no Brasil que ocorrem ataques sanguinários cometidos por membros de gangues ou organizações criminosas.

Conforme você poderá conferir na lista de casos a seguir — selecionados a partir de um artigo de Kent Tukeli do site The Richest —, o que não faltam por aí são bandidos perversos capazes de praticar atos terríveis. Veja:

1 – Ensopado de traidor

Luka Bojovic, Sretko “Açougueiro” Kalinic e Milan Jurisic, o almoço

Imagine que você pertence a uma gangue notoriamente violenta e um dos seus coleguinhas é conhecido pelo apelido de “açougueiro”. Você não ia querer enfurecer esse cara, não é mesmo? Pois Milan Jurisic do Clã Zemun — da máfia sérvia e responsável pelo assassinato do Primeiro Ministro Zoran Djindjic em 2003 —, não devia ter muito amor à vida, já que ele achou que seria uma boa ideia roubar dinheiro de seus companheiros.

Jurisic foi descoberto, e a dupla Luka Bojovic e Sretko “Açougueiro” Kalinic matou o ladrão a marretadas. Não contentes com isso, os dois esfolaram o cadáver, removeram os ossos, passaram a carne por um processador e fizeram um ensopado — que foi devidamente saboreado durante o almoço. Bojovic e Kalinic ainda usaram a pele de Jurisic para confeccionar uma horripilante máscara.

2 – Estripado em público

Em 2013, Mouse Shing, o então chefão da “Wo Shing Wo” — uma das ramificações mais antigas da Tríade, uma megaorganização criminosa chinesa fundada no século 16 —, estava saindo de uma visita ao hospital quando foi atacado por dois homens mascarados e brutalmente assassinado em plena luz do dia diante de uma porção de testemunhas horrorizadas.

Shing havia procurado ajuda médica para tratar de ferimentos — provocados em um atentado anterior —, e ao deixar o hospital, foi abordado por dois indivíduos empunhando machado e cutelo que o golpearam nos braços, costas, pernas e no torso. Segundo as testemunhas, os intestinos de Shing chegaram a ficar expostos, pendurados para fora da barriga, e apesar das tentativas dos médicos, o mafioso não resistiu e morreu pouco depois.

3 – Perdendo a cabeça

Não é nenhum segredo que as guerras entre as gangues mexicanas pelo controle do narcotráfico de drogas são assustadoramente violentas. Pois Acapulco se tornou palco de um ataque abominável há alguns anos, depois que os professores de cerca de 130 escolas do ensino primário se recusaram a ceder às ameaças dos chefões dos carteis locais.

Os traficantes exigiam que os professores pagassem metade de seus salários às gangues ou, do contrário, eles sofreriam as consequências. E como se recusaram a se render à extorsão, uma caixa contendo cinco cabeças foi descoberta próximo a uma escola — juntamente uma série de mensagens dirigidas ao governador do Estado mexicano.

4 – Fãs de futebol?

Também no México, o corpo de um rapaz chamado Hugo Hernandez foi encontrado cortado em sete pedaços nas ruas da cidade de Los Mochis, no Estado de Sinaloa. O torso do jovem foi descoberto em uma caixa, enquanto que as pernas, braços e o crânio do coitado foram abandonados em outro local.

Aliás, nos referimos especificamente ao “crânio” porque a face de Hugo foi dissecada e costurada sobre uma bola de futebol que, por sua vez, foi deixada dentro de um saco plástico perto da prefeitura da cidade. O pacote contendo o rosto do moço também trazia uma mensagem de felicitação pelo ano novo — que, evidentemente, foi o último de sua vida.

Hernandez, que tinha apenas 26 anos, era de Sonora — Estado vizinho a Sinaloa — e foi sequestrado por traficantes. Ninguém sabe ao certo o motivo de ele ter sido brutalmente assassinado, mas a suspeita é a de que o jovem tivesse dívidas de drogas.

5 – Dia de São Valentim

O último crime da nossa lista ocorreu em Chicago no ano de 1929, e se tornou notório graças aos envolvidos — entre eles ninguém menos do que Al Capone — e por ter sido o pior ataque da máfia já testemunhado nos EUA.

Conhecido como “Massacre do Dia de São Valentim”, o evento foi cometido por uma série de motivos — como enfraquecer gangues rivais e retaliar ataques anteriores —, e acabou com a morte de Peter Gusenberg, Frank Gusenberg, Albert Kachellek, Adam Heyer, Reinhart Schwimmer, Albert Weinshank e John May.

O massacre foi perpetrado por quatro homens supostamente a mando de Capone — dois vestidos com capas de chuva e os outros dois usando uniforme de policiais. Eles tinham como alvo Bugs Moran, chefão da Gangue do Lado Norte, rival da quadrilha do gangster ítalo-americano. No entanto, dizem que ao ver os homens de uniforme, Moran fugiu rapidamente, escapando por pouco da morte.

*Publicado em 18/5/2015