Um dos grandes dilemas de quem quer emagrecer e não consegue é o funcionamento do metabolismo, que nada mais é do que o conjunto de atividades e reações químicas que o corpo humano faz para transformar ou criar novas moléculas. Basicamente, seu metabolismo converte o que você come em energia/calorias.

Há duas formas de atividade metabólica: a que ocorre no estado anabólico e a que acontece no estado catabólico – o primeiro cria e o segundo quebra compostos (e nos ajuda a emagrecer).

O fato é que o metabolismo de cada pessoa gasta diariamente uma determinada quantidade de energia para manter o corpo vivo. Homens, que têm mais massa muscular do que as mulheres, geralmente têm metabolismos mais acelerados, mas a verdade é que vários fatores influenciam nesse sentido: idade, gênero, peso e a prática de atividades físicas.

Algumas pessoas têm o metabolismo acelerado naturalmente e, inclusive, às vezes estão abaixo do peso ideal e não conseguem engordar mesmo comendo muito. Outras, no entanto, parecem ganhar uns quilinhos a mais apenas ao olhar um bombom. Se você quiser saber quanto exatamente seu metabolismo gasta de energia por dia, procure um médico endocrinologista ou um nutricionista – esses profissionais realizam os exames ideais para esses casos.

De qualquer forma, se emagrecer é algo que você quer ou precisa, há algumas atitudes que ajudam a acelerar seu metabolismo. É importante pensar no modo como você se alimenta como uma fórmula matemática: digamos que seu corpo gasta 2 mil calorias por dia para deixar você vivo; se a ideia é emagrecer, você pode consumir menos do que esse valor e praticar atividades físicas. Se a intenção é ganhar peso, vale consumir mais calorias e descobrir quais atividades contribuem para o seu ganho de massa. Confira mais dicas a seguir:

1 – Ainda sobre a quantidade de calorias

Já falamos para você que emagrecer é também uma questão matemática, certo? Uma vez que você faça um exame de bioimpedância – que avalia seu peso corporal, a proporção de massa magra e gorduras e também calcula quantas calorias seu corpo gasta para ficar vivo –, é só trabalhar em cima desses números. Segundo esta publicação da revista Time, comer 500 calorias a menos do que seu metabolismo gasta é suficiente para eliminar de 450 a 900 gramas por semana.

2 – Atividade física

De acordo com Wayne Westcott, PhD em Ciência do Exercício, praticar atividades aeróbicas de três a cinco vezes por semana pode aumentar seu gasto metabólico mesmo em repouso, ou seja: quando você estiver em casa assistindo a um filme, seu corpo terá uma queima maior de energia pelo simples fato de que você começou a praticar atividades físicas.

Outra tática usada para quem procura perder mais calorias do que o normal durante a prática de atividades físicas é a alternância entre alguns segundos de exercícios de esforço intenso e alguns segundos mágicos de descanso. Uma pesquisa realizada por Michele Olson revelou que, em casos de exercícios com agachamento e salto, a alternância entre 20 segundos de esforço e 10 segundos de descanso aumentou o gasto de energia de sete calorias por minuto para 13,5 calorias por minuto.

3 – Músculo versus gordura

Um quilo de músculo queima até nove vezes mais calorias do que um quilo de gordura. Ou seja: talvez esteja na hora de você começar a investir em musculação ou alguma atividade que exija esforço muscular, como é o caso do pilates.

Segundo Pamela Peeke, médica e professora, a musculação é também uma ótima pedida para quem percebe que, com o avançar da idade, fica mais fácil ganhar peso.

4 – Por que o efeito sanfona é um péssimo negócio?

A gente ouve falar sobre ele o tempo todo e, como o próprio nome sugere, o efeito sanfona é aquele que faz com que uma pessoa emagreça cinco quilos em algumas semanas de dieta e, depois de “voltar ao normal”, acabe engordando não apenas esses cinco quilos, mas mais uns dois ou três, de brinde.

O médico Scott Isaacs explica por que isso é um grande problema: “Quando você perde peso, você perde músculo e gordura, mas, quando você ganha peso de novo, é quase tudo gordura, que queima poucas calorias”. Aí vai ficando cada vez mais difícil emagrecer.

Por isso é importante não fazer dietas malucas que garantem um emagrecimento grande e rápido. A reeducação alimentar, que deve ser feita com o apoio de um nutricionista ou de grupos como o Vigilantes do Peso, é fundamental nesse sentido. Ela permite que a pessoa reaprenda a comer. Não se trata de fazer uma lista de alimentos proibidos, mas de entender que alguns alimentos devem ser consumidos em menores frequências e quantidades.

5 – O lanchinho noturno

Muitas pessoas acreditam que o segredo para emagrecer é não comer, quando, na verdade, é exatamente o contrário. Se seu corpo fica muito tempo sem comida, ele vai entender que você está em uma situação de privação de energia e, por não saber quando você vai comer de novo, acaba estocando calorias para o futuro, e estocar calorias é igual a engordar.

Tem gente que não come nada à noite, por exemplo, por acreditar que isso engorda. De fato, não é ideal que você devore um generoso pedaço de lasanha ou um prato de macarronada, mas ingerir uma fruta, um copo de vitamina, uma barrinha de cereais ou alguma coisa leve é recomendado.

Dois estudos realizados recentemente pela Universidade Estadual da Flórida, nos EUA, descobriram algo curioso: comer algo leve, de mais ou menos 150 calorias, meia hora antes de ir dormir é um bom jeito de dar uma acelerada no seu metabolismo no dia seguinte. Os resultados são melhores ainda se esse lanchinho for proteico – a sugestão é um copo de leite ou um pouco de queijo cottage. Se você se exercita regularmente, melhor ainda.

***

Vale lembrar que emagrecer é uma decisão individual. Muitas pessoas policiam o peso alheio com a velha desculpa de que é por “uma questão de saúde”. Pode até ser, mas saúde é algo particular e cada pessoa tem a liberdade de fazer o que quiser com a sua.

Além do mais, como falamos lá no início do texto, algumas pessoas têm metabolismos acelerados e não engordam, mas isso não significa que elas sejam totalmente saudáveis e se alimentem corretamente. Da mesma forma, há pessoas gordas e que não têm problemas de saúde. Cada caso é um caso, cada corpo é um corpo e fundamental mesmo é o respeito.

*Publicado em 07/08/2015