Contrariando mais um dos clichês do mundo em que vivemos, uma pesquisa realizada nos Estados Unidos provou que os homens “machos” são os que costumam aceitar mais facilmente a prática de sexo seguro.

Embora o estereótipo de um homem másculo seja aquele que gosta de correr riscos e está sempre em perigo, o estudo derruba esse mito e revela o oposto. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores da Universidade de Michigan investigaram o comportamento de jovens com 18 e 19 anos, no início da vida sexual. Ao comparar os dados, eles notaram que aqueles que se apresentavam como homens mais cuidadosos em relação ao sexo eram justamente os que tinham níveis mais altos de testosterona – o hormônio responsável pela sexualidade e agressividade.

Segundo Sari van Anders, pesquisadora da Universidade de Michigan, entre os mais jovens, o fato de insistir em sexo seguro representa uma atitude mais perigosa do que se arriscar em uma relação desprotegida. A pesquisadora ainda afirmou que isso acontece entre os homens nessa faixa etária porque o comportamento social diante do sexo tem um peso muito importante. Aquele que opta por usar a camisinha precisa estar muito mais seguro e confiante do que o homem que abre mão do sexo seguro.

O estudo foi conduzido com 78 voluntários, estudantes universitários, a maioria deles com orientação heterossexual e de famílias de classe média-alta. Os participantes responderam questionários com perguntas sobre sua saúde, atividade sexual e opinião quanto ao uso de camisinha. Os jovens ainda forneceram uma amostra de saliva para que os níveis de testosterona fossem medidos.

Esses foram os primeiros resultados a que os pesquisadores puderam chegar. Em breve, eles pretendem estender a pesquisa para relacionar os níveis de testosterona em diferentes grupos de pessoas em que o comportamento social e a autoconfiança não sejam fatores tão importantes.