É isso mesmo que você leu! Mas também não é nada disso. Apesar da enxurrada de fake news que vemos todos os dias por aí, essa não deixa de ser verdadeira. Assim como os soviéticos não comiam criancinhas no café da manhã, os russos não estão exatamente dando à luz crianças de metal, mas uma empresa já cria bebês para pais que querem pegá-los no colo antes da hora. O verdadeiro continua na barriga da mãe, enquanto um “fake” sai de uma impressora 3D, feito de plástico ou até de ouro.

1

Outra verdade absoluta é que esse bebê não chora de madrugada nem suja a fralda de hora em hora. Não à toa é um sucesso de vendas na Rússia. A Embryo 3D não é a primeira empresa do mundo a oferecer esse serviço de impressão, mas seu grande diferencial está no material que pode ser utilizado. Pais ansiosos (e, talvez, extravagantes) podem pedir que sua criança de plástico seja banhada a ouro antes da entrega, que não é feita pela cegonha, mas pelo moço do “sedex” russo mesmo.

2

Ao contrário de um bebê de carne e osso, que leva 8 ou 9 meses para sair do forno, a versão 3D leva apenas algumas horas para ficar pronta. E pronta mesmo! Não tem nem aquele topo de cabeça mais molinho para você se preocupar.

3

“Eu tenho uma amiga que estava preocupada em relação à saúde do seu filho que ainda estava na barriga e queria vê-lo com os próprios olhos. Ela fez ultrassons diversas vezes, mas isso não foi o suficiente para acabar com aquela angústia. Na época, eu estudava novas tecnologias e decidi criar o bebê em uma impressora 3D”, conta Ivan Gridin, fundador da Embryo.

4

De lá para cá, a tecnologia e os processos avançaram, e a empresa russa se gaba de ser a mais qualificada no mundo na arte de imprimir bebês. Ainda a partir de um escaneamento por ultrassom, agora megadetalhado, o fake baby é produzido em tamanho real e com todos os detalhes, incluindo rosto, dedos e até o cordão umbilical.

5

Você se lembra de quando alguns pais mandavam fazer certas lembrancinhas dos filhos recém-nascidos que pudessem ser guardadas para a vida toda? Hoje em dia, as pessoas costumam achar brega, mas já houve um tempo em que banhar o primeiro sapatinho do filho com prata ou outro tipo de metal era muito popular. Agora, a moda não é só o pé  é o bebê todo!

Vale parar para pensar. Essa é uma invenção legal ou bizarra? Você gostaria de ter a possibilidade pegar no colo uma simulação do seu bebê que estará vivo de verdade em alguns meses? Seria algo para ser guardado para sempre ou poderia ser descartado depois? Não parece legal ser mais velho e poder pegar sua própria versão feto na mão? Banhada a ouro ainda!?

7