Para muitas pessoas, tirar os sapatos antes de entrar em casa é regra. Se você é uma delas, pode ter até se encontrado num dilema: devo pedir para os convidados fazerem o mesmo? Por um lado você poderia parecer um anfitrião exigente, por outro, evitaria a entrada de sujeira e bactérias da rua para dentro da sua residência. Mas será mesmo que deveríamos nos preocupar em deixar os calçados para o lado de fora? Confira a opinião dos cientistas e tire suas próprias conclusões.

Pisando em cocô

Em primeiro lugar, é preciso admitir que sim, a sola dos sapatos é uma verdadeira festa para as bactérias. De acordo com Jonathan Sexton, microbiologista ambiental e especialista em pesquisas da Universidade do Arizona, nos EUA, um sapato comum abriga centenas de milhares de bactérias por polegada quadrada. A cada novo passo que damos, novas bactérias se alojam ali. E em alguns lugares há uma variedade ainda maior delas, como em banheiros.

Pesquisas realizadas pela Universidade do Arizona em 2008 analisaram sapatos e demonstraram que quase todos continham bactérias fecais, incluindo Escherichia coli (E.coli), presente em 96% deles. Embora muitos tipos de E.coli sejam inofensivos para humanos, outros podem causar problemas como diarréia grave, infecções no intestino e trato urinário e até mesmo meningite.

Coleção de bactérias

Além dos coliformes fecais quase onipresentes nos sapatos, um estudo da Sociedade de Microbiologia Aplicada (SfAM) publicado em 2016 encontrou evidências de bactérias como Staphylococcus aureus, que pode gerar infecções na pele e, ainda pior, sangue e coração. Outro estudo publicado em 2014 na revista Anaerobe mostrou a presença de Clostridium difficile (C. difficile), uma bactéria com longa vida útil que causa problemas intestinais como a diarréia. Pesquisadores descobriram, inclusive, que os sapatos abrigavam mais C. difficile do que a superfície de um banheiro padrão.

Menos perigoso do que parece

Apesar de ser assustador pensar nos sapatos repletos de micróbios, a verdade é que a quantidade das bactérias presentes representam um risco mínimo para indivíduos saudáveis. Em entrevista ao LiveScience, Sexton afirmou que normalmente uma pessoa saudável precisaria entrar em contato com milhares de micróbios de uma cepa bacteriana prejudicial para se infectar de maneira grave.

Outro ponto a se pensar é que as bactérias podem até serem levadas para o ar que respiramos, mas a verdadeira ameaça está no chão, local que não temos contato direto, normalmente. "Eu ficaria mais preocupado com uma criança rastejando no chão. Para um adulto saudável, não é um problema muito grande", disse Sexton.

Quem tem problemas imunológicos também deve tomar precauções extras: não é a toa que em hospitais os pacientes vulneráveis ficam em ambientes em que a entrada de sapatos é vetada, sendo substituídos por sapatilhas descartáveis.

Resumindo: se você tiver crianças pequenas em casa ou moradores com baixa defesa imunológica, tirar os sapatos antes de entrar em casa é uma boa ideia. Se todos os moradores forem saudáveis, a escolha pode ser feita com base na preferência ou hábito, mas não há risco significativo à saúde. De qualquer maneira, limpar bem o solado do sapato no tapete antes de entrar em casa é sempre uma atitude válida!