O piloto de testes da Bugatti, Andy Wallace, atingiu a velocidade máxima de 304,77 milhas por hora (mph) - o equivalente a 490,47 quilômetros por hora - em um Bugatti Chiron na pista de testes Ehra-Lessien do Grupo Volkswagen, na Alemanha. Com a marca, o modelo se tornou oficialmente o carro de produção mais veloz do mundo. A velocidade máxima foi verificada pela alemã TÜV (Techincal Inspection Association), segundo informações do portal especializado em carros Top Gear. Isso faz do Chiron o primeiro supercarro a quebrar a barreira de 300 mph (482 km/h).

Mas o novo recordista teve algumas modificações em relação ao original, que é vendido por US$ 3 milhões, o equivalente a R$ 12 milhões. Desenvolvido em parceria com uma das principais fabricantes de pneus no mundo, a Michelin, e com a Dallara, empresa que constrói carros de competição, o Bugatti Chiron foi otimizado de forma a potencializar sua aerodinâmica, tornando-se cerca de 25 centímetros mais longo do que o modelo padrão. Além disso, o escape foi modificado, assemelhando-se ao Centodieci, outro modelo da marca alemã, e a asa traseira e o freio a ar foram descartados, sendo que uma nova peça aerodinâmica foi acoplada à cauda.

Contando apenas com o banco do motorista, o carro usou o motor 8.0 W16 do modelo regular, com 1.600 cavalos de potência. A caixa de câmbio e o sistema de tração nas quatro rodas não foram alterados. A Michelin desenvolveu pneus especiais para o modelo, o Pilot Sport Cup 2, capazes de girar até 4.100 vezes por minuto. O carro também foi equipado com recursos adicionais de segurança para o piloto, incluindo cintos de segurança de seis pontos e uma "célula de segurança" especial para o motorista britânico. O pavimento da pista foi limpo com tapetes especiais para remover qualquer pedra ou areia.

A Bugatti quebrou o recorde de um carro de produção em 2005, quando seu modelo Veyron atingiu 254 mph (408 km/h). Em 2010, seu Veyron Super Sport estabeleceu outro recorde com uma velocidade máxima de 268 mph (431 km/h). "Mostramos várias vezes que construímos os carros mais rápidos do mundo", salientou o presidente da Bugatti, Stephan Winkelmann. “No futuro, focaremos em outras áreas, esta foi a última vez para nós”, finalizou.

Em 2017, um Koenigsegg Agera RS quebrou o recorde da marca com uma velocidade de 278 mph (447 km/h). Mas a Bugatti afirma que após quebrar a mítica barreira de 300 km/h, ela pode redirecionar a atenção para os outros atributos de seus carros e não se concentrar apenas na velocidade.