O sonho de muitos adultos é uma máquina de lavar moderna, eficiente e que, de preferência, “faça tudo sozinha”, afinal, na correria dos dias atuais não há muito tempo a perder. Apesar de facilitar e muito a vida das pessoas, a máquina de lavar pode também ser uma vilã e tanto. Pelo menos é o que descobriu um hospital alemão ao indicar que elas podem ser um local ideal para proliferação de bactérias, incluindo algumas resistentes capazes de infectar seres humanos.

A primeira autora do artigo que conta a descoberta, Ricarda M. Schmithausen, chama a atenção para o cenário pouco comum para uma máquina de lavar. O eletrodoméstico estava instalado em uma unidade de terapia intensiva neonatal e era utilizado para lavar itens para pais e bebês.

Entre 2012 e 2013, testes realizados mostraram que alguns dos bebês recém-nascidos “atendidos” pela máquina de lavar estavam carregando uma bactéria resistente a medicamentos, a Klebsiella oxytoca. Apesar de não sofrerem com infecções, os bebês tinham a bactéria que “pegou carona” nas roupinhas de malha usadas para mantê-los aquecidos e confortáveis.

A professora da Northwestern University que estuda a microbiologia de ambientes internos Erica Hartmann explica que em ambientes hospitalares é sabido que qualquer recipiente ou local que tenha água são ambientes propensos ao crescimento de bactérias. Hartmann, que não participou do artigo, diz ainda que todos pensam em pias e esgotos e jamais imaginam que uma máquina de lavar possa ser um ambiente favorável para as bactérias. Mas elas são.

Foto: Pixabay

“Regra” básica de uma máquina de lavar, a utilização de água morna e fria é fundamental para a economia de energia e reaproveitamento. Acontece que para matar a bactéria Klebsiella oxytoca, a temperatura da água precisa estar acima de 60 graus celsius, descobriram os pesquisadores. A equipe ainda não conseguiu determinar como os micróbios chegaram até a máquina de lavar, mas eles também foram encontrados em uma pia próxima. “Como regra, isso normalmente não acontece através da rede de água conectada à máquina de lavar, mas através da lavanderia que já foi colonizada por esses patógenos”, explicaram os autores Daniel Exner e Schmithausen ao PopSci.

Os autores ressaltam que não é motivo para alarme, mas explicam que a máquina de lavar pode espalhar bactérias por meio das lavagens das roupas. “É importante saber que lavar a roupa em temperaturas normais de lavagem não elimina completamente as bactérias. Mas as bactérias estão por toda parte, portanto, é improvável que a roupa represente um perigo específico”, disse.

Mas Hartmann faz, sim, uma recomendação importante: manter tudo seco. Locais com água parada são potenciais abrigos para bactérias, portanto é fundamental estar atento à umidade e vazamentos.