Após mais de 13 acusações de problemas operacionais em trilhos de trem causados por tartarugas entre 2002 e 2014 em Kyoto e Nara, empresas japonesas se uniram em busca de tentar encontrar uma solução prática para o caso, que pudesse resolver tanto as dificuldades envolvendo atrasos e horários dos transportes terrestres quanto da sobrevivência e dos cuidados com os pequenos répteis.

Infelizmente, por conta da lenta movimentação das tartarugas, que podem chegar a atrapalhar o trânsito em estradas e rodoviais no geral, uma atitude teve de ser tomada para evitar que haja maiores complicações relacionando os envolvidos. Dessa forma, a West Japan Railway Co. e a Suma Aqualife Park, da cidade de Kobe, uniram forças para construir rotas para animais cruzarem os trilhos locais através do desenvolvimento de passarelas que permitem a travessia com segurança.

https://www.boredpanda.com/turtle-tunnel-train-track-safety-japan-railways/
(Fonte: Reprodução)

Antes de medida ser tomada, os animais tinham bastante dificuldade em atravessas a via férrea, ficando presos entre os trilhos e causando danos à propriedade governamental, além de serem esmagados pelas junções em U, que alternam as direções das locomotivas. A atitude leva em conta o orgulho local nos cuidados com os animais, especialmente com os lentos répteis, que existem em alta quantidade na cidades e são vistos comumente em diversos pontos.

"As tartarugas estão basicamente cuidando de sua rotina diária e precisam atravessar as linhas para chegar a um lago", disse um porta-voz da ferrovia. “Quando as lâminas de ponta se movem, infelizmente elas são esmagadas entre elas e morrem. Elas podem causar longos atrasos nas operações, portanto, consultamos um especialista em tartarugas para encontrar a melhor maneira de ajudá-los.”

Segundo informações locais, a medida, adotada em 2015, teve quase 100% de sucesso em seu primeiro ano de funcionamento, evitando que novos problemas tanto para a equipe técnica dos trens, da manutenção do trilho ou para as tartarugas voltassem a ocorrer. Atualmente, ao menos dez animais já foram salvos pelos diques, resultado de uma atitude extremamente responsável e sustentável das autoridades e corporações envolvidas na operação.

Quanto aos animais que ficam presos nos túneis, periodicamente membros da equipe técnica checam o sistema implementado e os retiram da situação de risco, sendo transferidos em segurança para um aquário próximo.